RISCOS E PROMESSAS NA INCERTEZA!



Líderes empresariais acreditam que as incertezas são importante motivo para que a economia global permaneça em crise, demonstrando poucas evidências de estar renovando suas forças. Impostos pressionam a todos. Indicadores econômicos estão enfraquecidos. O panorama político está repleto de incógnitas. O resultado disso é que líderes empresariais hesitam em levar avante novos projetos, contratar novos empregados ou se envolver em qualquer atividade significativa que possa colocar os recursos de suas corporações em risco. 
 Em um aspecto essa abordagem cautelosa é justificada. Seria sábio avançar descuidadamente mesmo que as condições econômicas não se mostrassem favoráveis? Na Bíblia, o livro de Provérbios endossa o agir com prudência:“O prudente percebe o perigo e busca refúgio; o inexperiente segue adiante e sofre as consequências” (27.12). Em outras palavras, a falha em reconhecer situações perigosas e agir de acordo com elas, pode levar a consequências desastrosas. 
 Contudo, esperar até que as condições pareçam perfeitas, pode também não ser o curso mais prudente a ser adotado: pode ser tarde demais! Como nos lembra o velho ditado, “O pássaro madrugador fica com a minhoca”. Ás vezes, o melhor momento para lançar algo novo é quando todos os demais estão nas garras da inércia. Enquanto todas as outras pessoas se deixam imobilizar pelo temor do que está adiante, algumas das maiores histórias de sucesso empresarial falam de indivíduos audaciosos e previdentes que agiram segundo ideias bem concebidas. 
 Sendo assim, quem pode dizer qual a diferença? Como distinguir entre quando é melhor ser cauteloso e esperar ou avançar a despeito da incerteza predominante? Embora ninguém possa oferecer garantia de sucesso, nem mesmo nas condições econômicas mais favoráveis, a Bíblia oferece algumas diretrizes úteis que merecem ser consideradas. O livro de Provérbios mais uma vez oferece percepção segura: 
 Reunir informações necessárias. Uma das coisas que mais contribui para o fracasso é a má vontade para pesquisar o suficiente e se preparar apropriadamente antes de agir. “O coração do que tem discernimento adquire conhecimento; os ouvidos do sábio saem à sua procura” (Provérbios 18.15). 
 Aconselhar-se com parceiros de confiança. Uma das formas de obter informações é consultar amigos e parceiros que conheçam os passos que você está considerando adotar. Eles podem oferecer pontos de vista que você não tenha considerado. “Sem diretrizes a nação cai; o que a salva é ter muitos conselheiros”  (Provérbios 11.14). “Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem-sucedidos quando há muitos conselheiros” (Provérbios 15.22). 
 Agir motivado pelo desejo de honrar e agradar a Deus. Com demasiada frequência os planos são impulsionados por desejos egoístas, tendo o orgulho como motivação. Essas armadilhas podem ser evitadas quando a intenção é seguir a direção revelada por Deus. Romanos 8.5 ensina: “Porque as pessoas que vivem de acordo com a natureza humana têm a sua mente controlada por essa mesma natureza. Mas as que vivem de acordo com o Espírito de Deus têm a sua mente controlada pelo Espírito”. 
 Planejamento prudente e consciência de perigos são imperativos no mundo dos negócios. Contudo, quando você verdadeiramente sente que o Espírito de Deus o está impulsionando a avançar, o curso mais sábio é ouvir o Espírito de Deus.
Por Rick Boxx
BONANI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

"A Igreja Fábrica de Gente e Suas Peças de Produção"