“RISCOS DE SUBESTIMAR O PERIGOSO TIGRE”




Pensando ainda nas negociações  da venda de grande parte das ações da E.D.P-(Portugal) aos chineses, ou seja;  o Conselho de Ministros procedeu  escolha da China Three Gorges Corporation "para efetuar a aquisição da totalidade das 780.633.782 ações representativas de 21,35% do capital social da EDP, que constituem objeto da venda direta de referência relativa à 8.ª fase do processo de privatização da EDP, atendendo ao maior mérito da respetiva proposta vinculativa apresentada em 9 de dezembro, a qual observa, em termos que satisfazem adequadamente o Governo, os critérios de seleção" e, analisando a influência que a China está impondo ao Ocidente; extraí de um texto que aparece no respeitadíssimo “The Washington  Post” um interessante comentário de um intelectual chinês que, actualmente  residindo nos E.U.A, escreve sobre o poder de penetração que a China está adquirindo a cada dia no Globo!
Convém  também salientar que o autor do comentário, é "membro de uma das Igrejas Subterrâneas na China!" Daí meu maior interesse pelo assunto que se segue:

         “RISCOS DE SUBESTIMAR O PERIGOSO TIGRE”
Em1975,o secretário de Estado Henry Kissinger  aconselhou o presidente Gerald Ford anão se encontrar como escritor Alexander  Solzhenitsyn, advertindo-o num memorando de que, se fizesse isso, ofenderia a União Soviética. Hoje, pontos de vista semelhantes a esse são defendidos não apenas por políticos pragmáticos, mas também por corporações multinacionais com grandes investimentos na China, além de universidades e fundações com estreitos vínculos com Pequim. A penetração do regime comunista chinês  no  Ocidente  ultrapassa consideravelmente a da  ex -União Soviética. Na era da Guerra Fria, a União Soviética estava bloqueada por trás da Cortina de Ferro; existiam poucos vínculos entre as economias soviética e ocidental. Uma família americana média não usava produtos “made in URSS”. Hoje, a China está profundamente integrada no sistema globalizado. Recentemente, uma escritora americana publicou um livro interessante narrando os detalhes de sua vida depois que se recusou a comprar produtos “made in China” e as várias dificuldades que encontrou em consequência dessa decisão. Superficialmente, o Ocidente lucra com seu comércio com a China. Os consumidores ocidentais podem comprar grandes quantidades de produtos chineses muito baratos. Mas os valores fundamentais do Ocidente estão sendo silenciosamente solapados. Quem sabe se a bandeira dos EUA na frente da sua casa não foi fabricada pelos presos de alguma cadeia chinesa ou graças ao trabalho  de  crianças?
Cheguei aos EUA há  um  mês, achando que havia escapado do alcance de Pequim, mas me dei conta de que a sombra do governo chinês continua onipresente. Várias universidades americanas que contactei não ousam  me convidar para uma conferência, pois cooperam com a China em muitos projetos.
Críticas.
Se um acadêmico de Estudos Chineses criticou o Partido Comunista ,será impossível para ele se dedicar a projetos de pesquisa com o Instituto Confúcio financiado pelo governo chinês, e talvez nem mesmo possa tira rum visto chinês. Por outro lado, se elogiar o Partido Comunista, não só receberá amplo financiamento para a pesquisa, como será convidado a visitar a China e até mesmo será recebido por funcionários de alto escalão. A liberdade acadêmica do Ocidente foi distorcida por mãos invisíveis. Estou convencido de que a China é uma ameaça muito maior do que a ex-União Soviética foi um dia; infelizmente, o Ocidente carece de políticos sonhadores, como Ronald Reagan, para fazer frente à sua ameaça. O presidente Barack Obama talvez perceba o Partido Comunista Chinês como um tigre que não morde e, portanto, aguardasse ansiosamente a visitado vice-presidente  Xi Jin ping, na semana passada. Será que Obama, vencedor do Prêmio Nobel da Paz, pediria abertamente à China que liberte Liu Xiaobo, também laureado como Nobel da Paz e atualmente num cárcere, condenado pelo Partido Comunista? Por que a secretária de Estado Hillary Clinton teve a coragem de se encontrar com Aung San Suu  Kyi de Mianmar, mas não se encontrou com Liu? É porque Mianmar é um país fraco enquanto a China é forte? O Partido Comunista Chinês continua sendo um tigre que morderá. Por trabalhar com Liu Xiaobo em prol dos direitos humanos, depois  que ele recebeu o Nobel da Paz, fui torturado pela polícia secreta do país e quase perdi a vida. Desde então, dezenas de advogados e escritores foram submetidos a brutais torturas; alguns contraíram pneumonia grave ao serem obrigados a permanecer diante de ventiladores com ar frio e depois a assar em um forno elétrico. A polícia secreta me ameaçou, afirmando que tinha uma lista de 200 intelectuais anticomunistas que estava prestes a prender e enterrar vivos. No ano passado, o número de prisioneiros políticos aumentou na China, e as penas de prisão tornaram-se mais longas e, no entanto, as vozes de protesto no Ocidente ficaram mais fracas. A dura repressão interna e a irrestrita expansão no exterior são duas faces da mesma moeda. O partido vetou recentemente a resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre a Síria, pois matanças semelhantes continuam no Tibete. Há mais de um século, os ocidentais descreviam a China como um “leão adormecido”. Hoje, é o Ocidente que está dormindo. Como escritor independente e membro cristão de uma “igreja subterrânea”, tenho a responsabilidade de contar a verdade: o Partido Comunista Chinês é ainda um tigre comedor de homens.
 YU JIE – (É AUTOR DE VÁRIOS LIVROS EM CHINÊS, ENTRE ELES: ‘CHINA’S BEST ACTOR: WEN JIAOBO’. ELE DEIXOU ACHINA NO MÊS PASSADO E FOI PARA OS ESTADOS UNIDOS,ONDE PRETENDE ESTUDAR E ESCREVER SOBRE A LIBERDADE RELIGIOSA.)

BONANI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

"A Igreja Fábrica de Gente e Suas Peças de Produção"

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)