"PRESSÃO E VISÃO!"


PRESSÃO E VISÃO!
 

E João, chamando dois dos seus discípulos, enviou-os a Jesus, dizendo: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro? E, quando aqueles homens chegaram junto dele, disseram: João o Batista enviou-nos a perguntar-te: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro? E, na mesma hora, curou muitos de enfermidades, e males, e espíritos maus, e deu vista a muitos cegos. Respondendo, então, Jesus, disse-lhes: Ide, e anunciai a João o que tendes visto e ouvido: que os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e aos pobres anuncia-se o evangelho. E bem-aventurado é aquele que em mim se não escandalizar. E, tendo-se retirado os mensageiros de João, começou a dizer à multidão acerca de João: Que saístes a ver no deserto? Uma cana abalada pelo vento? Mas que saístes a ver? Um homem trajado de vestes delicadas? Eis que os que andam com preciosas vestiduras, e em delícias, estão nos paços reais. Mas que saístes a ver? Um profeta? Sim, vos digo, e muito mais do que profeta. Este é aquele de quem está escrito: Eis que envio o meu anjo diante da tua face, O qual preparará diante de ti o teu caminho. E eu vos digo que, entre os nascidos de mulheres, não há maior profeta do que João o Batista; mas o menor no reino de Deus é maior do que ele. Lucas 7:19-28

Atitudes inesperadas por vezes nos surpreendem ao  ponto  de  encontrarmos gigantes da fé quase que anulados quando confrontados por violentas pressões. Parece-nos que João Batista nesse texto supra revela uma extrema crise de confiança a qual outrora depositara no messias, o Cristo!

A própria pressão mental é mil vezes mais forte que a pressão da sociedade. Vida, Busca, Turbilhão! Angústia, Raiva, Pressão!
Alguém certa vez disse: …Às vezes é difícil ser eu, nesses dias fujo de mim! Em outros, me confronto; …nesses, me encontro!”
São pensamentos que  encontramos na experiência daqueles que passaram por grandes pressões na vida!

É na pressão que nosso verdadeiro sentido, “visão” e convicção são postos à prova. É onde verdadeiramente podemos   enxergar a nós mesmos!

O texto de Lucas cap. 7  revela-nos pelo menos tres olhares sobre a figura de João: O olhar que ele  projetou de si mesmo, o olhar que o povo projetava nele  e o olhar projetado por Jesus!

Pressão pode tornar-se elemento crucial para  promover, extrair e ajustar  a visão que devemos nutrir na revelação do evangelho, Cristo!

Quantas visões pode produzir a pressão?

Aprendamos com João Batista!
A VISÃO DE NÓS MESMOS! E João, chamando dois dos seus discípulos, enviou-os a Jesus, dizendo: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro? E, quando aqueles homens chegaram junto dele, disseram: João o Batista enviou-nos a perguntar-te: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro? E, na mesma hora, curou muitos de enfermidades, e males, e espíritos maus, e deu vista a muitos cegos. Respondendo, então, Jesus, disse-lhes: Ide, e anunciai a João o que tendes visto e ouvido: que os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e aos pobres anuncia-se o evangelho. Vs. 19-22

Como no caso de João, somos “pressionados” e confrontados com a nossa própria visão (missão)! Na realidade a questão levantada por João Batista em relação as espectativas que ele nutria sobre o messias era sua própria crise manifesta em relação a sua própria missão a qual  precisava de uma confirmação segura. Isto o leva a enviar dois de seus discípulos a questionarem a realidade da missão de Jesus! …E João, chamando dois dos seus discípulos, enviou-os a Jesus, dizendo: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro? vs 19

Parece-nos claro  que o olhar pontual da pressão (cárcere) que João vivia, trouxe-lhe amnésia completa dos eventos passados e da convicção e missão que ele havia recebido e provado no próprio evento  batismal de Jesus!

Quando somos assaltados por pressões, conflituamos nossa  ótica de ver as coisas  com a  ótica da soberania de Deus!

 A VISÃO DOS OUTROS! …Que saístes a ver no deserto? uma cana abalada pelo vento? Mas que saístes a ver? um homem trajado de vestes delicadas? Eis que os que andam com preciosas vestiduras, e em delícias, estão nos paços reais. Mas que saístes a ver? um profeta? Sim, vos digo, e muito mais do que profeta. 24-26

A pergunta de Jesus ao povo é deveras arguta: “O que saístes a “ver?”

Diante da inquirição pública manifesta pelos dois discípulos joaninos, Jesus promove uma análise  sobre o ministério de João Batista sob o ponto de vista colectivo! …Que saístes a ver no deserto? Vs 24

A pressão também nos expõem ao olhar avaliador dos de fora! Eles estão sempe pronto para nos analisarem, para nos “ver!   

As pessoas estão nos observando e nos avaliando constantemente. Na pressão é que manifestamos verdadeiramente quem somos e o que é que revelamos a elas!

Jesus promoveu essa avaliação pública de João! …Que saístes a ver no deserto?

A VISÃO DE CRISTO! Mas que saístes a ver? um profeta? Sim, vos digo, e muito mais do que profeta. Este é aquele de quem está escrito: Eis que envio o meu anjo diante da tua face, O qual preparará diante de ti o teu caminho. E eu vos digo que, entre os nascidos de mulheres, não há maior profeta do que João o Batista; mas o menor no reino de Deus é maior do que ele. vs 26-28

Jesus conhecia João intimamente e em sua visão explicita do profeta não interferiu na soberania divina para com seu destino existencial, não o libertando  do cárcere nem o elevando ante os demais homens no Reino! …mas o menor no reino de Deus é maior do que ele.vs 28

Podemos querer impor ou sermos levados pela nossa própria visão. Outros podem ter ou impor sua visão acerca de nós. Entretanto prevalecerá sempre a visão de Cristo acerca de nós mesmos!

Por vezes, uma dose mais elevada de pressão, nos capacita a avaliarmos aquilo que realmente somos e para que existimos desde que nos sujeitemos à soberania de Deus na Graça de Cristo!

Se estamos passando por pressões, saibamos que; no confronto com a verdade do Evangelho (Cristo), como foi com João Batista, devemos perceber: Não somos aquilo que pensamos ser. Não somos  aquilo que os outros pensam de nós. Somos somente aquilo que Cristo vê que somos!

Aleluias!

BONANI

 

 

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

"A Igreja Fábrica de Gente e Suas Peças de Produção"