"ANTES DO ANTES"



Que havia antes do antes?


     Grande parte da comunidade científica tem como dado assegurado que o universo e nós mesmos viemos de uma incomensurável explosão – big bang – ocorrida há cerca de 13,7 bilhões de anos. Há um derradeiro fossil desse evento, verificado pela ciência. Em 1965 dois técnicos norte-americanos da Bell Telephone Laboratories de New Jersey, Arno Penzias e Robert Wilson construiram um aparelho ultra sensível de microondas. Ao testarem o aparelho, constataram que nele havia um ruido que não podiam limpar. Ele vinha uniformemente de todas as partes do universo, uma onda baixíssima de três graus Kelvin.
    Qual a origem deste ruído cósmico de fundo? Eles e outros astrofísicos constataram que era o último eco da grande explosão e o derradeiro resto da irradiação inicial. Tomando como referência as galáxias mais distantes que estão fugindo de nós a grande velocidade e cuja radiação vermelha está agora chegando a nós, concluiram que tal fato teria ocorrido cerca de 13,7 bilhões de anos atrás. Por isso, Penzias e Wilson ganharam o prêmio Nobel em física em 1978. Quer dizer, a nossa idade não é aquela de nosso nascimento mas essa, do nascimento do universo há tantos bilhões de anos, quando estávamos potencialmente todos lá juntos com os demais seres do universo. Este dado, segundo alguns, teria sido a maior descoberta da ciência.
    Que havia antes do big bang? Os cosmólogos nos sugerem que havia o vácuo quântico, o estado de energia de fundo do universo, origem de tudo o que existe. Outros o chamam de abismo alimentador de todo o ser. Condensação dele, seria aquele pontozinho que primeiro se inflacionou como um balão e depois explodiu dando origem talvez a outros eventuais mundos paralelos, consoante a teoria das cordas. Mas o vácuo quântico, última realidade atingida pela microfísica, é ainda uma realidade discernível. É o antes. Mas antes deste antes dinscernível o que havia?
Num programa de rádio perguntaram a Penzias o que havia antes do big bang e do vácuo quântico? Ele respondeu: "não sabemos; mais sensatatamente podemos dizer que não havia nada". A seguir uma radiouvinte, irritada, telefonou acusando Penzias de ateu. Ele sabiamente retrucou:"Madame, creio que a senhora não se deu conta das implicações do que acabo de dizer. Antes do big bang não havia nada daquilo que hoje existe. Caso houvesse caberia a pergunta: de onde veio"? Em seguida comenta que se havia o nada e de repente começaram a aparcer coisas é sinal de que Alguém as tirou do nada. E conclui dizendo que sua descoberta poderá levar a uma superação da histórica inimizade entre ciência e religião.
    O que podemos, honradamente, dizer é que antes do antes havia o Incognoscível, o Impenetrável,  o Mistério. Ora, os nomes que as religiões atribuem àquilo que chamam de Deus ou Tao, ou Javé ou Olorum ou qualquer outra Entidade é exatamente de ser o Incognoscível e o Mistério a que se referia Penzias. Portanto, havia "Deus". Ele não criou o mundo no tempo e no espaço mas com o tempo e com o espaço.
    Que havia antes do antes? Agora podemos balbuciar: Havia a "Realidade" fora do espaço-tempo, no absoluto equilíbrio de seu movimento, a Totalidade de simetria perfeita, a Energia infinita e o Amor transbordante. Sequer deveríamos usar tais nomes, pois eles surgiram depois, quando tudo já havia sido trazido à existência. Na verdade deveríamos calar. Mas como somos seres de fala, usamos palavras que nada dizem. Apenas são flechas que apontam para um Mistério.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

RELIGIÕES DO LIVRO E A INCOERÊNCIA DA LITERALIDADE!"