A AMPLITUDE DA CURA DE JESUS!

E aconteceu que, quando estava numa daquelas cidades, eis que um homem cheio de lepra, vendo a Jesus, prostrou-se sobre o rosto, e rogou-lhe, dizendo: Senhor, se quiseres, bem podes limpar-me.E ele, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: Quero, sê limpo. E logo a lepra desapareceu dele.E ordenou-lhe que a ninguém o dissesse. Mas vai, disse, mostra-te ao sacerdote, e oferece, pela tua purificação, o que Moisés determinou, para que lhes sirva de testemunho. Lucas 5:12-14  (ler também   Levíticos 14:1-9)
A cura de Jesus é vasta. A cura de Jesus é dilatada. A cura de Jesus é larga. A cura de Jesus é ampla, alcança dimensionalidades e coisas na existência da pessoa de implicações inimagináveis!
Só em Jesus a verdadeira cura acontece com poder e efeitos amplos!
Como podemos entender e usufruir de  tal manifestação de libertação sanadora?
A experiência de cura e os posteriores  acontecimentos que ocorreram na vida desse leproso citado no texto supra, irá nos revelar que:
A AMPLITUDE  DA  CURA  DE  CRISTO É PARA QUALQUER  NATUREZA, EXTENSÃO OU DIMENSÃO DO PÉRFIDO ESTADO FÍSICO!
No caso do homem em questão, parece que a existência conspirava contra sua vida roubando-lhe o maior património físico que um ser humano possui que é sua saúde!
Sua doença era resultado de uma somatória de fatores, ou seja: sua própria patologia, associada ao tempo e espaço , configurando impotência diante da situação, condicionando seu estado anímico, pois, psicologicamente, cada vez mais era somatizado em função de todos esses itens descritos, o mau,(lepra), que acumulava-se e expandia-se ao ponto de tomar seu corpo todo!

A Natureza do seu  mau era a lepra. A extensão do seu mau era todo o seu corpo. A dimensão do seu mau era configurada em seu estado anímico, somado a isso o processo da lepra que consumia sua alma, estigmatizava sua  função, condição e condução na vida social, visto que pela lei mosaica um leproso era imundo e separado da sociedade! (Levítico 14). Entretanto, no encontro com clamor a Jesus, o  texto em apreço, revela Jesus  poderosamente operando em todo o seu corpo, restituindo-lhe a saúde plena. Aleluia!
A AMPLITUDE  DA  CURA  DE CRISTO É PARA QUALQUER NATUREZA, EXTENSÃO OU DIMENSÃO DO MAU ESPIRITUAL!
Sim! O leproso era  estigmatizado   e  considerado como um vil pecador. Recaía sobre ele a acusação pública de ser portador de tal miserável sorte por ser ele mesmo, ou, um seu parente,  infrator da lei de Deus que lhe produzira uma situação  de cunho pontual, ou por um mau(lepra) hereditário provinda de seus pais!
Isso projetava da objectividade  acusatória  uma sentença como  subjetividade condenatória, pois, de tanto acentuar em sua alma tal estigma, tal destino provocava-lhe um auto – boicote, o qual, com certeza, enfermava-lhe o espírito, tornando seu  íntimo mais leproso que seu ser periférico!
Analogamente; ...o pecado é comparado à lepra, entretanto; ... a cura de Jesus provê também a plena anulação  e a destrução pela raiz de tal condenação e  mau espiritual. Não fica um pêlo sequer da velha natureza corrompida pela lepra. "A Navalha da Graça Curadora" na cura de Jesus, limpa tudo! "E será que ao sétimo dia rapará todo o seu pêlo, a sua cabeça, e a sua barba, e as sobrancelhas; sim, rapará todo o pêlo, e lavará as suas vestes, e lavará a sua carne com água, e será limpo," Levítico 14:9
Assim, tal como aquele homem, que não só foi curado de sua lepra física mas também espíritual; assim também,  experimentemos a cada dia uma transformação sanadora em nosso espírito!
A AMPLITUDE  DA  CURA  DE JESUS É PARA  QUALQUER   NATUREZA, EXTENSÃO OU DIMENSÃO DO MAU SOCIAL!
Jesus reabilitou o homem conduzindo-o ou reconduzindo-o à sua normalidade social, ordenando-lhe, através da formalidade ritual da lei de Moisés a apresentar-se ao sacerdote  para  averiguação, constatação e sentenciação cabal de sua cura! (Ler a prescrição do rito em Levítico 14)
Interessante observar que não foi por causa da Lei de Deus (Graça) que Jesus ordenou que o homem fosse ao sacerdote. Não! O próprio toque das mãos de Jesus deixa configurado a operação graciosa, perdoadora e reconciliadora da Graça divina. Foi sim, para que o testemunho do próprio sacerdote, fosse o instrumento declarativo de sua reinserção social  que serviria  tanto o leproso,como para a sociedade, apenas de efeitos protocolares, pois diante de DEus ele já estava limpo e livre. Aleluia!
Na cura de Jesus, a  restauração e a reintegração do “ser" para verdadeiramente “ser” no mundo um “ser milagre divino vivo", como foi o caso desse leproso,  servirão com certeza testemunho  social na qual a nova inserção por sí só fala!

Aleluia!

BONANI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

RELIGIÕES DO LIVRO E A INCOERÊNCIA DA LITERALIDADE!"