O DISCURSO É DURO MAIS EU QUERO METANÓIA!



Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Sabendo, pois, Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isto escandaliza-vos? Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava? O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida. Mas há alguns de vós que não crêem. Porque bem sabia Jesus, desde o princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar. E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido. Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele. Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente. Respondeu-lhe Jesus: Não vos escolhi a vós os doze? e um de vós é um diabo. E isto dizia ele de Judas Iscariotes, filho de Simão; porque este o havia de entregar, sendo um dos doze. João 6:60-71

Pessoas hoje se dizem e declaram discípulos com a mesma facilidade como  se tomassem um copo d’água ou vestissem uma camisa!
Projeto seguir a Jesus implica em conscientização, decisão e ação  que    nos comprometerão para toda a eternidade.
Sendo assim, ser discípulo não é projeto raso, medíocre, leviano.Muito menos traz consigo interesses pessoais. Requer absoluta resignação e entrega!
Ouso dizer: ...na proposta evangélica ser verdadeiro discípulo não é para quem  quer  é para quem pode!
Qual é então o perfil que caracteriza  um   seguidor do mestre?
Examine-mos a triagem que o próprio Jesus fez entre os muitos milhares que se diziam seus seguidores e vejamos quais passaram no teste!

Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? João 6:60

Ser discípulo implica em atingir esse entendimento, ou seja; abraçar suas doutrinas, compreender seu discurso ainda que isso a princípio seja duríssimo!
Discipulado não se estabelece pelo acúmulo dogmático-teológico denominacional ou filosófico ou experimental, muito menos conhecimento empírico ou mesmo adquirido em anos de acadêmismo-evangélico ou herança evangélica parental! 
É Dele essa declaração: …,as palavras que eu vos disse são espírito e vida. João 6:61
Sua palavra e sua doutrina são muito mais elevadas que meras doutrinas e elaborações humanas. Seu ensino é uma “entidade” que se fixa e se estabelece, se amalgama com nosso espírito e virá "um-em-nós-indivíduo-espiritual" da mesma natureza "Dele" o qual “naturalmente” em razão de sua “natural natureza” é doutrinado no  e pelo caminhar constante de seu "discípulado em vida!"
Quando alcança-se esse conhecimento espiritual e seu doutrinamento, a verdade como entidade espiritual começa a condicionar a vida do discípulo que vira natural doutrina da vida!
Leiamos: Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo. Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como nos pode dar este a sua carne a comer? Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebido. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim. João 6:51-57
Quando, na posse do entendimento de que comer sua carne e beber seu sangue não é exercício antropofágico,ou seja; o ato de consumir uma parte, ou várias partes da totalidade de seu corpo no sentido literal,mas sim, um exercício “nutricional” da aceitação e ingestão da sua natureza,  que  “começa” na aceitação de seu sacrifício o qual “inicia”  o processo da “metanoia”; ...naturalmente acontecerá essa implicação que propõem o próprio Jesus: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.
É do próprio Jesus que vem a proposição, a avaliação, o exame e a conclusão acerca disso: Sabendo, pois, Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isto escandaliza-vos? João 6:61

Considerando as proposições de todo o texto acima, creio que feliz foi a atitude de Pedro que, mesmo estando entre aqueles que consideraram o “discurso duro”, escolheu ser   discípulo na   doutrina de Cristo, a qual só pode ser conhecida e vivenciada através da metanoia por “Ele” operada!

Não é de  admirar ante a tal proposta discipular a revelação que declara: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido.

BONANI;
sentindo a dor do discurso e clamando como Pedro:
-…só tu tens palavras de vida eterna!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

RELIGIÕES DO LIVRO E A INCOERÊNCIA DA LITERALIDADE!"