“SEQUELAS DO NEOFITISMO”: PARA QUEM DESEJA INTERPRETAR O CONTEXTO DO TEXTO E O CONTEXTO DA VIDA”!



“ Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo.” I Tm 3:6.

 Sou grato a Deus pela minha vocação ministerial e a Ele devo a minha "escolha, chamada, reconhecimento e constante cuidado até o presente momento!"
Entretanto!... Nada disso teria valor se não fossem as recomendações escriturísticas e de muita gente boa de Deus que foi instrumento na minha formação ministerial.
Observemos juntos as recomendações de Paulo e com sobriedade, entenderemos sua preocupação quanto ao neófito candidato ao ministério! Vejamos:

A carga de recomendação de Paulo nesse assunto leva-me a duas reflexões:
…Paulo nessa recomendação tem uma larga experiência no ministério da “vida vivida e vívida”que amalgamada com seu ministério das demandas diárias, das exigências proclamadoras do Evangelho(Cristo), serve-se delas para recomendar;no dizer do meu paizinho: a vida é a melhor escola!
E, agregado a isso…
…Paulo conhece os perigos de transferir para o neófito os encargos ministeriais,pois, os mesmos, mesmo que, na “intenção” e na “tentação” de serem entregues à uma “prodigiosa fé juvenil”,podem transformar-se em ferramentas auto destrutivas, tanto  para quem recebe como para quem recebe de quem recebeu!
Destas “duas” reflexões parece que Paulo está concebendo antecipadamente um diagnóstico “Freudy-yung-piagiano” de algo que poderá tornar-se receita do Diabo para uma psicopatia de liderança ( poder)!
A “conversação” de Constantino, ou melhor, a “conversão” do imperador é um “prodigioso pretexto” de neofitismo de proporções “ Luciferianas!
… Lúcifer mesmo!
Para a posição neofitista do “Sim – do – me – dê - lúcifer”, Paulo recomenda; não um “Lúcifer princípio do sim”, mas, um “Lúcido princípio do Não!”
Quem não aceitou a priori a companhia ministerial do jovem Marcos e por isso espoletou uma crise relacional que dividiu interesses pessoais com interesses do evangelho pode bem aconselhar para um “não!”
Ou seja…
Segundo a recomendação…
“Não” separar o neófito é o “não” de “não” anulá-lo mas considerá-lo “não preparado”!
Quando, “se percebe”, “entende”, “sabe”, “compreende”, “avalia”; a melhor “atitude” é mesmo: “Não!”
Isso mesmo. Com exclamação e tudo!
Para quem sabe ler bem o texto e ler bem a vida e procura interpretá-los em todo seu contexto!
Para todos os prodígios que hojem sofrem as feridas  do “sim” e hoje não conseguem aceitar o não”!
Há cura para tuas sequelas!

No “temor” do Senhor!


Bonani

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

"A Igreja Fábrica de Gente e Suas Peças de Produção"