“EXPECTATIVAS ANGUSTIANTES, FÉ E A REGÊNCIA DA VIDA!”




Tem  muita  gente   que  confunde “ expectativa”  com  “fé” ao ponto de perder toda a capacidade de distinção entre uma e outra manifestação.

Mesmo    que   a   nível  psicológico,  a “expectativa”  pareça vir configurada  ou  apresente características de genuína fé, entretanto, não é fundamento para realizações de competência sobrenatural, até porque: ...a expectativa trabalha na esfera das energias psicológicas de foro natural(mental) ou mesmo  de uma patologia ilusória, podendo gerar  enganosas e engenhosas configurações que podem até produzir  "neurastenias",ou seja,perturbações mentais caracterizadas!  

O que é expectativa?
Qual sua definição?
Vejamos:  

…É uma  esperança fundada em promessas, viabilidades ou probabilidades.

-Creio ser essa a melhor definição sobre a "expectativa!"

Em vereda absolutamente oposta, se assenta a fé, a qual encontra sua melhor definição  na  asserção do Evangelho que declara: “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.” - Hebreus 11:1

Confrontando  a expectativa com  a fé, podemos observar algumas situações que revelam a diferença capital  entre  uma e outra manifestação! Vejamos:

…Geralmente a "expectativa" deposita sua confiança em pessoas, coisas e mesmo em questões temporais. Quando tais   esperas   ou  expectações não acontecem a decepção se instala!

Não é assim com a fé pois não é produção energética da alma, mas fundamentação concreta do espírito,  que   gera e absolutiza  quer   sejam coisas, pessoas, eventos, promessas, e quaisquer outras demandas, como algo já realizado mesmo que ainda não substantificado. Fé não é expectativa, fé é certeza!

Outra “manifestação angustiante” produzida pela "expectativa" é o tempo, ou seja, o “período de espera”  de  uma   promessa, sonho, viabilidade, desejo, paixão, etc.

Alguém   declarou que “a decepção tem como medida a expectativa!”

Em geral tais esperas viram angustia de alma conspirando e produzindo  prejuízo existencial para aquele que opta por escolher esse caminho de expectação.

No caso da fé a questão  não se assenta no “comprimento-distância- lonjura” quer seja no aspecto tempo ou espaço, pois, a certeza está no absoluto “cumprimento-tempo-espaço” das coisas, as quais, não se vêem  e nos fatos(realidades) que já existem mas ainda não se manifestaram e se absolutizaram no nosso “tempo –espaço”, as quais  com certeza, pela fé, já são e estão!

Uma vida absolutamente saudável na existência e produtora de verdadeiras realizações sobrenaturais se assenta na proposição: ...“não devemos  governar  nossa existência pelas expectativas, mas pela  genuína e verossímil  fé!”

Não estou dizendo que as expectativas devam ser anuladas. Isso é impossível, pois  são  produtos energéticos da alma. Devem sim ser controladas e avaliadas pelo crivo de uma saudável e genuína fé.

“Uma vez que você abandone a “regência existencial  das  expectativas” e seja conduzido pela “governação de uma genuína fé”, com certeza; …estarás  aprendendo a viver!”

BONANI

Comentários

Postar um comentário

Escreva aqui seu comentário e enriqueça ainda mais o Blog com sua participação!

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

RELIGIÕES DO LIVRO E A INCOERÊNCIA DA LITERALIDADE!"