"A CADUQUICIDADE DA INTERPRETAÇÃO CADUCA DO ANTIGO TESTAMENTO"


A relação dos crentes com a Bíblia que é mais forte do que o vinculo deles com Jesus.
Sim! Porque até hoje os crentes não crêem em quem Jesus é; nem no que Ele disse; e nem no que todos os apóstolos disseram sobre o que era “velho, caduco, obsoleto, ultrapassado” ante a revelação de Cristo; a qual estabelece o fim da Lei.
Ora, tudo o que você disse ser “o seu problema” de conciliação com Jesus, é justamente aquilo que em Jesus morreu na Cruz, para sempre.
O seu conflito é o de quem não aceita que em Cristo uma boa parte da Bíblia virou “história”; e nada mais que isto; pois, aquilo no que tais coisas tiveram a sua relevância, expirou, pois, nunca salvou ninguém de acordo com Paulo (Romanos e Gálatas; e em Hebreus); além de que eram “sombras de coisas que haviam de vir”; e que vieram em Cristo.
A equação dos crentes é a Bíblia toda + o que de Jesus couber no todo da Bíblia; e nunca é o contrário: Jesus; e, depois, o que da Bíblia continuar vigente conforme o espírito do Evangelho.
Mas não precisa crer em mim. Creia em Jesus, e nos escritos dos apóstolos. Por exemplo: veja em Paulo e Hebreus quantas vezes se faz alusão à Lei como caduca, esclerosada e obsoleta...
Paulo diz que a Lei era terror. Diz que a Lei veio para que avultasse o pecado. Diz que a Lei trouxe consigo a morte; e a consciência dela. Diz que as coisas passadas eram incompletas; todas elas. E diz que o fim da Lei e de tudo o que com ela foi dado para salvação ou para a sociedade de Israel, expirou; só ficando “daquilo" o que em Jesus permaneceu.
Você viu Jesus tendo que explicar algo assim?
Ou leu de alguma angustia apostólica sobre o assunto?
Ora, esse tema começou com o “Cristianismo” e com sua vontade judaizante de “conciliar” o Velho e o Novo Testamentos; o que, segundo Jesus, é loucura; pois, é como remendo de pano novo em vestes velhas.
De fato, mano, o que você me pergunta é: Há dois deuses? Um que mandava matar e um que proíbe?
Não! Há sim uma humanidade crescendo, saindo da Idade da Pedra e andando na direção das coisas excelentes, as quais nos vieram todas em Cristo.
De modo que o que fica, a menos que Jesus não lhe baste, é simples: Jesus é a chave interpretativa de tudo: o que Ele encarnou é Palavra para sempre; o que Ele não encarnou (antes repreendeu) caiu em estado de caduquice e morte para sempre.
O que lhe falta é crer em Jesus!
O que lhe falta é crer no Evangelho!
O que lhe falta é deixar de tentar criar uma solução para um problema seu, religioso, condicionado pela “igreja hibrida”, de natureza romano-judaica (que é o “Cristianismo” e que nada tem a ver com o Evangelho.
Porque você não pega o Levitico e vive por meio dele, como um todo?
Veja se agüenta!
Ora, se não suporta, por que ser seletivo tanto no que escolhe da Lei para dizer que permanece como também em relação ao que da Lei você acha absurdo?
A Lei é tão santa quanto absurda; ensina Paulo!
Ora, pergunte a Jesus por que Ele não tocou em tal assunto?
Pergunte por que Ele apenas disse que o Novo era o que permaneceria, e que o velho já morrera?
O mais, sinceramente, é apenas o resultado de até hoje não se ter aceitado que Jesus é Tudo; e que Nele tudo o que não foi vivido-encarnado-ensinado por Ele, é porque não é para ser vivido por ninguém; nunca mais...
Subscrito,
Bonani

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

"A Igreja Fábrica de Gente e Suas Peças de Produção"