LEI, MORAL, ÉTICA, PRESCRIÇÕES E OUTROS ASSUNTOS BÍBLICOS À LUZ DA NOVA ALIANÇA- (Assunto para Quem está Disposto a Ler e Pensar!)




LEI,  MORAL, ÉTICA, PRESCRIÇÕES E OUTROS ASSUNTOS BÍBLICOS À LUZ DA NOVA ALIANÇA

Por Ideberto Bonani


O texto que se segue é extenso e denso. A princípio o tema supra proposto estava configurado em postagem, entretanto virou assunto de intensa reflexão, e porque não dizer, crispações em certos momentos, mas nada  em que a maturidade não pudesse gerir e manter as conversas no limite do suportável. E você, já refletiu sobre esse assunto?


DESDE QUANDO A BÍBLIA É AUTORIDADE MORAL?


Por Marcelo Lemos

Imagine a cena. Ele chega à Ilha da Fé e depara-se com a Igreja Corrupção, cujo discurso é pela santidade de vida, mas seus líderes são o exato modelo a não se seguir. Mas há algumas vozes reformistas, de gente que pensa ser necessário unir o discurso a prática. Vozes que se valem das Escrituras Sagradas para tais protestos em prol da ética e da santidade. O recém-chegado se impressiona, imagina que tais protestos sãos justos, e ele decide verificar nessa tal de “Escritura” o que ela tem a ensinar aos cristãos.

Não me apedreje, querido leitor, sou apenas o narrador da saga. Mas, vejam, quando ele decide ir as Escrituras seu problema não termina, apenas começa. Ansioso por preceitos morais elevados ele se depara com pecadores como Abraão e Ló. O primeiro, que não pensou duas vezes ao mentir sobre sua esposa, é chamado nosso “pai na fé”; o segundo, que não apenas titubeou ao entregar suas filhas aos homens de Sodoma, é chamado de “justo”. Seria a Bíblia, de fato, um manual confiável de valores morais? Se com tantos pecados estes homens acharam graça aos olhos do Senhor, quem nos dá o direito de criticar os líderes religiosos do nosso tempo?

Aluísio Maia é leitor do Genizah, seu depoimento nos deu a base para a viagem literária acima. Ele desabafa:

Devo confessar que sou muito fã do seu site, que desmascara as sacanagens que acontecem no meio cristão, para não dizer palavras mais pesadas para descrever isso. Fui membro de uma dessas igrejas e hoje me sinto puramente envergonhado nessa lama de proselitismo, hipocrisia, falácia, opressão e mais algumas "cositas a más" que me deixaram frio, gelado na verdade, em relação ao evangelho. O problema é que, no início, realmente tentei não olhar para os homens e "focar" na cruz e na mensagem do evangelho, mas cara, a podridão desse meio é tão grande que me enojou a tal ponto que a minha ética, arraigada no âmago de minha criação não deixou que eu me aproximasse de nenhuma igreja.

Daí começei a estudar e encontrei histórias como a de Ló...  Daí eu lhe pergunto: se nem na própria bíblia há ética e coesão, o que dirá nas instituições. Como ser cristão sem referências concretas? Aliás, tenho a impressão que o que o homem toca vira maldição...ou não?”.

O questionamento acima é o de muitos, e muito utilizados por céticos e críticos da Bíblia; afinal, se a Bíblia é o padrão perfeito de moralidade, como pode ela mesma conter uma coletânea incrível de pecados e atrocidades cometidas pelos eleitos de Deus? Há duas formas de responder a este questionamento, uma direcionada aos céticos, e outra mais apropriada aos cristãos em dúvida.

Primeiro, vamos ao que o cristão precisa saber. O fato de a Bíblia relatar os deslizes morais dos eleitos não depõe contra a sua autoridade divina, mas a favor. Porque a Bíblia nunca ensinou que os cristãos seriam perfeitos, antes, ela mesma adverte que os cristãos estão sujeitos a pecar. Se um cristão peca, não depõe contra a autoridade das Escrituras, antes estabelece tal autoridade. O meu pecado depõe contra mim, mas confirma a Palavra de Deus.

Assim, é ilógico usar o pecado dos cristãos para negar a veracidade do Cristianismo, ou mesmo para rejeitar ou diminuir a autoridade moral da Lei de Deus. O pecado dos eleitos faz parte da cosmovisão cristã, portanto não pode contradizê-la. Que problema há que a Bíblia relate os deslizes morais dos eleitos de Deus, então? Nenhum. Mesmo assim pode soar estranho que ela trate tais pecadores como “justos”, não é mesmo?

Tal estranheza também se alimenta de uma objeção que ignora as Escrituras, e por isso, sequer existe. Pois a relação entre Deus e o homem não é descrita nas Escrituras como sendo “meritória”, mas por Graça. Este equívoco se dissolve como gelo ao sol diante da história do Sacerdote Josué. O profeta Zacarias nos conta uma visão na qual está o sacerdote diante de Deus, com suas vestes sujas, sendo acusado pelo próprio Satanás. Diante das acusações de Satanás, o Mensageiro do Senhor diz:

Então falando este, ordenou aos que estavam em pé diante dele, dizendo: - Tirai-lhe estes trajes sujos. E a Josué disse: - Eis que tenho feito que passe de ti a tua iniquidade, e te vestirei de trajes festivos. Também disse eu [Zacarias]: - Ponham-lhe sobre a cabeça uma mitra limpa. E Puseram-lhe, pois, sobre a cabeça uma mitra limpa” (Zacarias 3.1-5).

Não há nenhum problema em que a Escritura chame pecadores de “justos”, pois Deus não justifica o homem como base em méritos. Ora, se a justificação dos salvos é por Graça, e não por méritos, o fato de serem pecadores não depõe contra as Escrituras, antes, também a confirmam. Novamente: como usar o pecado dos eleitos contra a Bíblia, se ela é a primeira a nos dizer sobre ele? Pecado que atinge a todos, inclusive os mais graduados em suas fileiras, como atesta Tiago, irmão do Senhor: “Meus irmãos, não sejais muitos de vós mestres, sabendo que receberemos um juízo mais severo. Pois todos tropeçamos em muitas coisas!”(S. Tiago 3.1-2).

É justamente quando os cristãos se acham melhores, que os descrentes riem, e o testemunho cristão é prejudicado. Quando atribuímos a nós mesmos algum grau de justiça pessoal, o mundo enxerga toda a nossa hipocrisia e tolice. Sim, somos justos, somos santos, e os incrédulos são ímpios e condenáveis; mas apenas porque Deus perdoou nossos pecados, e cobriu nossa iniquidade: “Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto!” (Salmos 32).

Ah, é! Faltou contar como responder aos céticos. Bem, se você estiver com pouco tempo para dialogar mais extensamente, peça ao cético que assista ao filme “Um Retrato Para Dorian Gray” – se ele tiver dois neurônios funcionando no cérebro, entenderá o recado. Para o cético (ateu, agnóstico, ou qualquer outro) a moral é coisa meramente subjetiva, e é sempre mutável e relativa. E gostam de enfatizar isso chamando os cristãos de retrógrados que baseiam sua vida em uma cosmovisão que é... digamos... primitiva, ultrapassada! Claro, eles são homens modernos! Homens que chegaram a um nível maior de iluminação intelectual, onde se aprende que não existe “a Verdade”.

O grande problema do relativismo é que ele destrói a si mesmo, pois ao criticar qualquer coisa, ao fazer qualquer juízo de valor, ele se transforma em sua antítese! Ora, se alguém me diz que não existe a verdade, significa que até mesma a afirmação “não existe a verdade” não pode ser verdadeira. Assim, o incrédulo cai por terra sem ter sequer conseguido justificar racionalmente qualquer objeção.

Por exemplo, alguns incrédulos nos questionam sobre a acusação de que a Bíblia promoveria genocídios. Já demonstrei a tolice de tal acusação algumas vezes. Mas, ainda que a acusação fosse verdadeira, caberia ao incrédulo nos dizer a justificativa racional que ele tem para afirmar que “genocídio” é algo imoral. Ora, o incrédulo não pode nos dar uma base racional para isso, já que segundo ele, não existe “verdade”. E se estamos diante de um incrédulo materialista, que entende o mundo como um grande processo evolutivo, ainda podemos lhe demonstrar que os mais variados tipos de violência (estupro, assassinato, genocídio, etc) foram muito benéficos para a “evolução” da raça humana – pois seriamos regidos pela “lei do mais forte”.

Neste ponto da discussão o incrédulo provavelmente irá apelar para o “senso comum”. Ele irá argumentar que a sociedade evoluiu, e hoje chegamos a um consenso diferente, e por maioria de votos tais atrocidades , que são naturais segundo sua própria visão de mundo, foram consideradas imorais. Basta que o cristão lhe diga: “Tudo bem! Mas isso me diz apenas o que você e seus pares pensam sobre aquele ato, mas não me diz nada sobre o que aquele ato é. E sabemos que o que você pensa não é verdade, pois a Verdade não existe!”.

Em síntese, o incrédulo não possui qualquer base racional para questionar o que for nas Escrituras, pois ele mesmo não tem qualquer base racional que justifique sua própria moralidade. De fato, a moral de um incrédulo está baseada na moralidade cristã (ele vão querer me linchar por isso, mas é a verdade!). Costumo dizer que todo incrédulo é matricida, pois ao desejar a morte da cosmovisão cristã ele deseja a morte de quem lhe deu a luz.

De modo que, nem um cristão em crise, ou mesmo um incrédulo pode questionar a Escritura como sendo o Padrão Divino para a ética e a moralidade. E nem podem usar os maus exemplos listados nas Escrituras para justificar os erros que hoje se comentem. Além disso, o fato de pecados serem chamados de “justos” não é empecilho a apologia que realizamos. Muito pelo contrário.

É verdade que os heróis da fé, apesar de seus erros, foram justificados por Deus; mas é igualmente verdadeiro que eles sofreram as punições temporais de seus pecados. Abraão, Ló, Isaque, Davi, Salomão, etc., todos eles conheceram na pela esta advertência do Evangelho: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Galátas 6.7).

E o evangelicalismo brasileiro tem semeado muito... na carne. Mais dia, menos dia, o Brasil irá ceifar os frutos... da carne.
Abaixo segue a reação dos comentaristas!

 http://3.bp.blogspot.com/_SKzWh5oiKws/TJ1C1oWZk4I/AAAAAAAAAB4/TtdhqIAgXTM/S45/arquivo%2BA376_cr.jpg
Barão disse...
Marcelo Lemos,
Matou o pau e mostrou a cobra... ou seria matou a cobra e mostrou o pau, pombas!!!
Texto indubitavelmente claro e uma pancada nestas besteiras que andam por aí.
V.D.M.I.Ae;
Guaracy Martins prof
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Quando eu ainda era evangélico, me causava estranheza chamar Abraão de pai e condenar os católicos por chamarem Maria de mãe, havia até um "corinho" chamado Pai Abraão, que dizia:


Pai Abraão, tem muitos filhos
Muitos filhos ele tem
Eu sou um deles, você também
Louvemos ao senhor

Braço direito.

Pai Abraão...

Braço direito, braço esquerdo...



Evangélicos não tem escrúpulos em venerarem Abraão, mas só tem o desprezo para oferecer àquela que profetizou:

"pois atentou para a humildade da sua serva. De agora em diante, todas as gerações me chamarão bem-aventurada"
 Lucas 1:48

E na maioria das traduções evangélicas a palavra humildade é substituida por "baixeza", baixeza de sua serva...

Até no Alcorão existe um livro dedicado à Maria, a maior parte da humanidade sempre cumpriu esta profecia:
 "todas as gerações me chamarão bem-aventurada", menos as gerações evangélicas, até os reformadores originais cumpriram a profecia, menos a geração evangélica, não é por acaso que é a geração celeiro de falsos profetas.
http://3.bp.blogspot.com/_X_TYNT54xQE/S13MjXe-jgI/AAAAAAAAAAk/mfggvF1z7vc/S45/Docs%2BPortoSul%2B012.jpg
Concordo sim mas com algumas resalvas,parabens!!!!
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Zilton Alencar disse...
Uma das grandes virtudes da Bíblia é exatamente o fato de ela apresentar seus personagens como humanos, falhos, pecadores e em algumas ocasiões patéticos até. Ora, não conheço nenhum livro religioso, codificador de uma religião, que apresente tantas imperfeições. Seria o cúmulo! Não é o caso da Bíblia. Isto nada mais os indica que a Bíblia não possui personagens para serem tomados como exemplos perfeitos, exceto o próprio Senhor Jesus! Parabéns aos hereges, na pessoa de Marcelo Lemos. Disse quase tudo, o suficiente para bons entendedores!
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Nossa que confusão nesse texto!
Talvez se fosse definido que tipo de "moral" se está falando seria mais fácil de entender. Moral como "Lei de Deus"? Moral do ocidente cristão? Moral como padrão de código de comportamento de um povo? Moral como regra religiosa? Moral como principios da verdade?

Aí eu pergunto: que tipo de moral Deus usou quando tomou a virgem Maria para ser seu instrumento na concepção?

Que tipo de moral Deus usou quando ordenou que Isaias andasse nú?

Que tipo de moral foi usada por Deus quando mandou se Oséias se casar com uma puta e gerar filhos dela?

Que tipo de moral foi usada por Deus e depois até recompensada quando Raabe mentiu para proteger os espias?

Que tipo de moral Deus usou ordenando que Ezequiel comesse fezes humanas e posteriormente fezes de animais?

O texto não elucida nada sobre moral e verdade!?

Convem entender a Graça e a soberania de Deus melhor.
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Anônimo disse...
Texto maravilhoso!
Muito obrigado por esse "presente"
Que Deus continue a abençoar vcs!
http://3.bp.blogspot.com/-0JAh6dK5C8c/Ti3-gjVZvfI/AAAAAAAAAC4/Z-x0Ih3lPXo/s45/186079_680517016_2637817_n.jpg
Ideberto Bonani disse...
Concordo com o comentário do Sintonia da Vida.As Escrituras quando lidas do ponto de vista religioso e de todos os "tipos de morais, éticas e paradigmas", desenvolvidas durante os tempos imemoriais das civilizações mais antigas, até os nossos dias, com certeza; mais discussão será criada e menas conclusões serão tiradas.Se na consciência de uma fé inamovível em Jesus como centro convergente e desencadeante do verdadeiro modelo de homem, não obteremos nenhum outro padrão de ordem moral!Deixo a minha humilde contribuição, dizendo o seguinte:Cada vez que o homem busca o "centro das coisas" explorando-o a partir das "periferias do centro", mais ele se distância do "Centro" que é Jesus e de seu próprio "centro interior" e todas as quantas-quânticas idéias, ciências,morais, éticas, paradigmas, teorias e filososfias que a priori partirem desta busca, serão idéias que passam a ter indefinidas, irremediáveis e inumeráveis suposições que, até podem satisfazer aquele que é atraído por tais descobertas,entretanto, existencialmente; continua sem descobrir seu próprio "Centro", revelando na verdade, a simplicidade "quântica- poética" que canta Caetano Veloso: ...no avesso, do avesso, do avesso,do avesso, do avesso!...
BONANI SIM, BANANA NÃO
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
Sintonia de Vida e Bonani;

Como cristão eu condeno o relativismo moral, inclusive o de vocês dois. Só existe uma regra de fé e prática para o Cristão: a Escritura Sagrada. O que passar disso é loucura, irracionalidade.
 

Não dou a mínima para "quantica-poetica", Caetano Veloso, periferias do centro, do meio, ou da esquina... O verdadeiro cristão "tem o seu prazer na Lei do Senhor, e nela medita de dia e de noite".

Paz e bem
www.olharreformado.com
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Marcelo Lemos " A lei do Senhor" se cumpriu em Jesus de Nazaré. Aliás, Jesus foi muito além da Lei de Moisés ou de qualquer outra Lei que exista (inclusives as "morais")! Ele é o Verbo eterno que se fez carne e Habitou entre nós. Por isso, repito, voce precisa melhorar seu olhar "reformado" !
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
"relativismo moral"? A minha moral é a de Jesus de Nazaré! Me admira você colocar a Lei do Senhor em concorrencia com o Verbo Eterno. Como disso o Bonani: Jesus é o Centro de Tudo, inclusive da Lei!
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
Sintonia da Vida; 

o que é de se admirar é alguém que se apresente como cristão colocar o Verbo contra o Verbo; ou seja, a Palavra contra a Palavra! E o pior: jogar sobre outro (no caso, sobre mim, sic) a acusação de fazê-lo!!

Sim, pois quem coloca o Verbo contra o Verbo, a Palavra contra a Palavra (Cristo X Lei de Deus) é você, e não eu!
 

Isso, como se Cristo ficasse contra Si mesmo!
 

Qual é o teu padrão de "moral"? Qual é o teu padrão de "verdade"? Afinal, você deve ter um, já que meu texto foi incapaz de definir tais coisas para você, não é mesmo? Diga-nos, qual é o teu padrão? Cristo? Um Cristo desobediente a Lei? Um Cristo antinomista? Um Cristo relativista? Alguma canção melosa de Caetano Veloso, quem sabe?

Não é a Bíblia o seu padrão para moralidade pessoal? Não é a Bíblia, toda ela? Teria o senhor descoberto um padrão melhor que o prescrito por S. Paulo, talvez? "Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em Justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra". E isto escrito quando ainda não havia a "Escritua" do Novo Testamento, como você provavelmente há de saber!

Ou talvez o senhor possa nos ensinar mais do que fez Cristo mesmo? "Não cuideis que vim destruir a Lei ou os profetas; não vim ab-rogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou til se omitirá da Lei sem que tudo seja cumprido.

"Qualquer, pois, QUE VIOLAR UM DESTES MENORES MANDAMENTOS e assim ensinar aos homens será chamado o menor no Reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no Reino dos céus.
 

"Porque vos digo: se a vossa justiça não excedera dos escribas e fariseus, de modo algum entrareis no Reino dos céus!" (Mateus 5. 17-2).

E segue, Cristo, explicando a Lei, tornando-a ainda mais presente na vida do cristão: não é apenas uma questão de não matar, mas sequer desejar a morte do próximo! Não se trata apenas de não adulterar, mas de não ter pensamentos impuros!
 

Mas você diz seguir a Cristo! Comédia! Que Cristo? O Cristo sem lei, criado a tua imagem e semelhança, ou o Cristo do Sermão da Montanha, que explicou e aplicou a Lei moral à vida da Igreja?

Diga-nos, qual é o teu padrão?

Paz e bem
www.olharreformado.com
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Assim ensina o Magistério da Igreja:


...
1952. As expressões da lei moral são diversas, mas todas coordenadas entre si: a lei eterna, fonte em Deus de todas as leis; a lei natural; a lei revelada, compreendendo a Lei antiga e a Lei nova ou evangélica: por fim, as leis civis e eclesiásticas.

1953. A lei moral encontra em Cristo a sua plenitude e unidade. Jesus Cristo é, em pessoa, o caminho da perfeição. Ele é o fim da lei, porque só Ele ensina e confere a justiça de Deus: «O fim da Lei é Cristo, para a justificação de todo o crente» (Rm 10, 4).

1963. Segundo a tradição cristã, a Lei santa (12), espiritual (13) e boa (14), é ainda imperfeita. Como um pedagogo (15) ela mostra o que se deve fazer; mas, por si, não dá a força, a graça do Espírito para ser cumprida. Por causa do pecado, que ela não pode anular, não deixa de ser uma lei de escravidão. Segundo São Paulo, ela tem por função principalmente denunciar e manifestar o pecado que constitui uma «lei de concupiscência» (16) no coração do homem. No entanto, a Lei permanece como a primeira etapa no caminho do Reino. Prepara e dispõe o povo eleito e cada cristão para a conversão e para a fé em Deus salvador. Proporciona um ensinamento que subsiste para sempre, como Palavra de Deus.

III. A nova Lei ou Lei evangélica

1965. A Lei nova ou Lei evangélica é a perfeição, na terra, da Lei divina, natural e revelada. É obra de Cristo e tem a sua expressão, de modo particular, no sermão da montanha. É também obra do Espírito Santo e, por Ele, torna-se a lei interior da caridade: «Estabelecerei com a casa de Israel uma aliança nova [...] Hei-de imprimir as minhas leis no seu espírito e gravá-las-ei no seu coração. Eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo» (Heb 8, 8-10) (19).

1966. A Lei nova é a graça do Espírito Santo, dada aos fiéis pela fé em Cristo...

1972. A Lei nova é chamada Lei do amor, porque faz agir mais pelo amor infundido pelo Espírito Santo do que pelo temor: Lei da graça, porque confere a força da graça para agir pela fé e pelos sacramentos; Lei de liberdade porque nos liberta das observâncias rituais e jurídicas da Lei antiga, nos inclina a agir espontaneamente sob o impulso da caridade e, finalmente, nos faz passar da condição do escravo «que ignora o que faz o seu senhor», para a do amigo de Cristo: «porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi do meu Pai» (Jo 15, 15); ou ainda para a condição de filho herdeiro (34).
...
Catecismo da Igreja Católica

Por essas e por outras é que hoje eu sou católico.
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Não deveria mas vou responder voce, Sr. "Olhar reformado", discipulo de Calvino, Lutero e companhia limitada. (embora o próprio Lutero e Calvino tenha enxergado aquilo que voce recusa a enxergar) Voce está mais para discipulo de Móises do que para esses homens!

Então vamos lá:

Bem, voce deveria ler a Epistola de Paulo aos Romanos com Bastante carinho!
E aos Galatas tambem!

" O homem é justificado pela fé, independente das obras da Lei! Rom 3:28

Porque o fim da Lei é Cristo para a justiça de Todo o que Crê! Rom 10:4

" E começando por Moisés e discorrendo por Todos o profetas expunha-lhes o que a SEU RESPEITO CONSTAVA d'ELe EM TODAS AS ESCRITURAS" Lucas 24:27"

"...importava o QUE DE MIM SE CUMPRISSE tudo o que está escrito na Lei de Móises, Os profetas e os Salmos" Lucas 24:44"

Porque n'Ele habita corporalmente TODA a plenitude da divindade"

Olha...tem textos demais para colocar aqui "olhar reformado"!

O problema é que voce faz confusão entre "letra morta" (II Corintios 3:6)e Palavra Viva. Não há dicotomia entre as Escrituras e o Cristo Vivo! Voce confunde o "letrismo" da Bíblia com Escrituras, aí fica dificil de entender mesmo, mas tudo bem não vamos perder a paz por causa disso!

Não tem como dividir a Palavra Viva do Verbo Encarnado. As escrituras do Antigo testamento se cumpriu em Jesus e a partir d'Ele toda as Escrituras à Ele se submete...rsrsrs. Incrível que voce não saiba isso!!

Na Lei de Cristo não há mais moral porque a Lei de Cristo é o Amor. Quem ama já cumpriu a Lei (Romanos 13:8). Não somos julgados pela moral e nem pela Lei somos julgados pelo amor Mateus 25.

Voce é discipulo da Lei ou de Cristo? rsrs

Acho que a sua re-forma é a Lei, voce não precisa de reforma voce precisa nascer de Novo! Não da Letra mais do Espirito!
 

Esquece a Lei e a Moral , Deus só se baseia na verdade e a Verdade de Deus é Cristo!

O compromisso de Deus é só com o Evangelho de Seu Filho porque o Evangelho do Filho é Eterno porque o Cordeiro foi morto antes de existir Leis e mundos (Apocalipse 13:8)

O problema seu é essa "reforminha" e não o Cristo Eterno! Nossa salvação é muito maior do que voce possa imaginar!!

E sinceramente...entre ficar guardando a Lei e seguindo a Jesus eu prefiro, infinitamente Jesus. Sou perdidamente apaixonado por Jesus! Sou incurável nesse sentido!

E saiba Jesus foi muito além da Lei de Moisés porque Ele viveu e encarnou o "espírito da Lei". Jesus chamou a Lei de "porta Larga". Leia o novo Testamento direito! Inclusive esses textos que voce usou depoem contra voce mesmo! (rsrsr)

(rsrsrs)

Fique me paz!
Entendeu?
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Duro é se considerar "cristão" sendo seguidor da moral ou discipulo de Moisés! (rsrsr)
http://4.bp.blogspot.com/-m5Hil3iKj9Q/ThLxOEvva1I/AAAAAAAAAE8/BazyyNPu9WY/s45/dede.jpg
Denison Santos disse...
C.S.Lewis fala acerca dos princípios morais em Cristianismo Puro e Simples de uma forma inteligente.
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
Sintonia de Vida;

Hum... está me dizendo que os reformadores eram Antinomistas? Está me dizendo que as Confissões de Fé Reformadas são Antinomistas? Aí está uma coisa que eu desafio você a provar!
 
É impressionante como alguns se pretendem doutos naquilo que desconhecem, não? Mas, em todo o caso, fica aí o desafio: que você demonstre que os reformadores ensinaram que o cristão está desobrigado da Lei Moral. Será que você pode provar seu ponto, ou apenas é capaz de lançar a acusação de que eu não esteja seguindo os passos (sic) de Calvino ou Lutero?
 

Talvez sua ignorância em tais assuntos possa começar a ser dissipada, por exemplo, com a leitura da Confissão de Fé de Westminister, em seu Capítulo XIX, Artigos VI, VII:
 

“Embora os verdadeiros crentes não estejam debaixo da lei como pacto de obras, para serem por ela justificados ou condenados, contudo, ela lhes serve de grande proveito, como aos outros; manifestando-lhes, como regra de vida, a vontade de Deus, e o dever que eles têm, ela os dirige e os obriga a andar segundo a retidão; descobre-lhes também as pecaminosas poluções da sua natureza, dos seus corações e das suas vidas, de maneira que eles, examinando-se por meio dela, alcançam mais profundas convicções do pecado, maior humilhação por causa deles e maior aversão a eles, e ao mesmo tempo lhes dá uma melhor apreciação da necessidade que têm de Cristo e da perfeição da obediência dele. Ela é também de utilidade aos regenerados, a fim de conter a sua corrupção, pois proíbe o pecado; as suas ameaças servem para mostrar o que merecem os seus pecados e quais as aflições que por causa deles devem esperar nesta vida, ainda que sejam livres da maldição ameaçada na lei. Do mesmo modo as suas promessas mostram que Deus aprova a obediência deles e que bênção podem esperar, obedecendo, ainda que essas bênçãos não lhes sejam devidas pela lei considerada como pacto das obras - assim o fazer um homem o bem ou o evitar ele o mal, porque a lei anima aquilo e proibe isto, não é prova de estar ele debaixo da lei e não debaixo da graça” (aconselho a ler todo o resto, bem como qualquer outra confissão de fé reformada).

O apóstolo S. Paulo não era antinomista, nem qualquer outro dos apóstolos do Cristo! Para sermos salvos, segundo as Escrituras, não precisamos das cerimonias do Antigo Testamento, porque Cristo se fez NOSSA PÁSCOA. No entantanto, não somos salvos para viver para nós mesmos, mas sim, para cumprirmos os mandamentos do Cristo! Por isso, o apóstolo assegura que a fé não anula a Lei, antes a estabelece! Não estabelece como sendo algo a nos justificar, pois nunca foi capaz de fazer isso, mas a estabelece como sendo a vontade de Deus para a nossa santificação. “Anulamos, pois, a Lei pela fé? De maneira nenhuma! Antes, estabelecemos a Lei!” (Romanos 3.31). Isso, claro, nos leva novamente ao que ensinou o próprio Cristo em S. Mateus 5, já citado aqui.
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
(Continuação)


E seria engraçado, não fosse trágico, que o senhor que se diz seguidor de Cristo, esteja simplesmente ignorando o que Cristo disse sobre a validade moral da Lei de Deus: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o dizimo da hortelã, do endro e do cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juizo, a misericórdia e a fé; DEVEIS, porém, FAZER ESSAS COISAS EM OMITIR AQUELAS!” (S. Mateus 23.23).

Mas, claro, o senhor entende mais sobre moral que o próprio Cristo!
 

Cristo baseou seu ensino sobre a Lei (Lucas 10.26; 16.17, 29-31; Mateus 7.12; 12.5; 19.4). Aliás, enquanto o senhor, do alto da tua sabedoria, me acusa de ser discipulo de Moisés, Jesus na parabola está ensinando o valor de ouvir o que Moisés tem a dizer; mas, tudo bem... o senhor sabe mais do assunto do que Ele!
Os preceitos morais do Novo Testamento, mesmo na pena dos apóstolos, inclusive Paulo, são baseados nos ensinamentos da Lei de Deus! Por exemplo, aqui I Timóteo 5.17-18, que você pode comparar (ou seja, ler!) com essas passagens II Coríntios 6.14; Deuteronomio 22.10! Ou talvez você prefira comparar Romanos 10.6-8 com Deuteronomio 30.11-13; qualquer destas comparações provará que o Novo Testamento se vale do Antigo como referencial para o que é a Vontade de Deus sobre “certo” e “errado”, sobre “moral” e “imoral”. E, claro, dada sua ignorancia no assunto, não é demais lembrar que não estamos falando de “justificação” (que é pela Graça, como o senhor já leu no artigo aqui publicado).

Até mesmo o “amor”, que muitos antinomistas dizem seguir, e crio que você não é diferente, não é algo que definimos por nós mesmos! Muito pelo contrário, o Evangelho nos ensina que É A LEI QUEM DEFINE O QUE É O AMOR... ao nos dizer, “O amor não faz mal ao próximo; de sorte que o cumprimento da Lei É O AMOR” (Romanos 13.10). Se você ama, você cumpre o que diz a Lei de Deus; se você diz que ama, mas não a cumpre, é um mentiroso... Não mentir, não adulterar, não roubar, não maldizer, não fazer sexo com animais, mão caluniar, não reter o salário do trabalhador, não ficar sem trabalhar por preguiça, não adorar idolos,...
 

Ou será que no “seu” “evangelho” todas estas coisas foram liberadas?
 

“A circuncisão é nada, e a incircunsição nada é, mas, sim, a obediência aos Mandamentos de Deus!” (I Coríntios 7.19).

Não é este o Evangelho crido por você, Sintonia de Vida? Por acaso é outro? Se é outro, baseia-se onde? No Novo Testamento, ou em alguma canção melosa de Caetano Veloso?
 

Não é incrível, ou “duro” (parafraseando-lhe, rsrrsrs) que o senhor se diga cristão, mas despreze a Lei que foi elogiada, citada e aplicada pelos autores do Novo Testamento, incluindo o próprio Cristo?
 

Marcelo Lemos
www.olharreformado.com
http://3.bp.blogspot.com/-0JAh6dK5C8c/Ti3-gjVZvfI/AAAAAAAAAC4/Z-x0Ih3lPXo/s45/186079_680517016_2637817_n.jpg
Ideberto Bonani disse...
Em Cristo, toda a lei é imprimida em nossos corações configurada em "Lei Consciência", até porque, quem entender a leitura dos Evangelhos, perceberá que o ministério terreno de Jesus deu-se a priori num contexto judaico, onde a obrigatoriedade da "lei moral e cerimonial" era uma exigência legalista especifica para um povo peculiar.Dai a veemente repreensão de Jesus ao que se diziam detentores da lei,ensinado-a e exigindo dos outros obediência como os fariseus e saduceus,quando eles mesmos, não eram capazes de a obedecerem! Muito do que Jesus falou acerca da lei e sua obediência, fez num "pretexto-contexto" de condenação da hipocrisia religiosa que se fazia em nome da lei, que foi dada em princípio para Israel!Uma leitura despida de qualquer roupagem dogmática chegará com facilidade a essa conclusão! Entretanto, o próprio Jesus discorre que toda a lei e os profetas tem-no como ponto "convergente" e "desencadeante", e porque não dizer, posto que o nosso próprio debate assim confirma,na ótica de algumas posições teológicas, ponto "divergente" de análise! Não foi isso que Paulo expôs em suas cartas, quanto do combate ferrenho que travou contra os judaizantes, que queriam fazer simbiose das prescrições morais e éticas da lei da Lei com a lei do espírito e vida da Graça? Leia Romanos 8:1-4. Tão simples! Por favor, esqueçamos essas "expressõeszinhas", como "Antinomistas","Relativismos", "Liberalismos", "fraseszinhas" de efeito e vamos para a "concretização do concreto." Em Jesus toda a justiça exigida pela Lei foi cumprida em nós através de Jesus! Aleluia!
"Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado,a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.
Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito.
Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz." Romanos 8:1-6
BONANI
http://3.bp.blogspot.com/-0JAh6dK5C8c/Ti3-gjVZvfI/AAAAAAAAAC4/Z-x0Ih3lPXo/s45/186079_680517016_2637817_n.jpg
Ideberto Bonani disse...
"Olhar Reformado" que não se identifica com o olhar da proposta da Nova Aliança de "convergir" em Cristo todas as coisas, pode se tornar um "Olhar Deformado"! ler Efésios 1:9-10. 
Capítulo 24 do Evangelho de Lucas.
Discorre o contexto dos eventos sucessivos que aconteceram no primeiro dia da semana; o dia da ressurreição:(...)
No uso de alguns versículos de Lucas 24; a saber: 13 ao 35; "Jesus, após sua ressurreição, foi quem primeiro fez evangelismo pessoal no caminho de Emaús para dois de seus discípulos, discorrendo uma exposição de todas as escrituras, começando por Moisés e indo até os profetas, fato esse que aconteceu junto aos discípulos no “caminho” da mencionada aldeia" , sendo que assim “Ele” mesmo manifestou e revelou dessa forma, a importância de se tê-lo como o "tema central" de toda a Escritura, sendo “DEle” mesmo o maior testemunho de que “Ele” mesmo pregou nas Escrituras; “Ele mesmo!”
Se fosse fazer uma exposição homilética do assunto eu tematizaria o texto referido dessa forma: “Jesus Pregou Jesus!!!”
Sim!
A mensagem mais vibrante que "Jesus" pregou em sua evangelização em Emaús foi "Jesus!"
Pensando ainda no contexto daquela aula, considero que: realmente; não há outra mensagem que Jesus, “O Verbo" nas e das "escrituras” não pregue do que “Ele” mesmo, posto que não há “outro Evangelho” a ser pregado,como declara Paulo ao Gálatas 1: 8 e 9.
Viver “outro evangelho” é viver um evangelho nas dimensionalidades de Emaús, ou seja: viver o evangelho do nosso próprio caminho.
É vida que já não mais espera em Jerusalém,pois perdeu sua "geografia", pois não sabe nem mais qual caminho a tomar, então, o melhor é tomar o “caminho de casa” como fazia Cleofas e seu companheiro de caminho, pois, na verdade; não há melhor lugar que possamos realmente “ser-nosso-próprio caminho” que no recondito de “nosso-caminho-casa!”
Mais!!!
Viver “outro evangelho” é ocupar-se de falar tudo que se sabe sobre Jesus e os respectivos acontecimentos que envolvem sua pessoa, seus feitos, sua doutrina, como também discorriam os dois discípulos.É como circunscrever a "mensagem Jesus" apenas e exclusivamente na dimensão da “Confraria dos Estudiosos dos Compêndios sobre a Doutrina de Cristo”, e, na caminhada, engrossar fileiras com os discípulos de Emaús no afã cristão de circunscrever-se tão sómente as dimensionalidades do “muito falar” e do “muito ouvir” e do "muito conhecer" sobre "Ele", sem se dar conta de que; na mensagem onde “Jesus Prega Jesus”, a questão em causa, não são doutrinas sobre “ Ele”, pois, o próprio caminho é “Ele” mesmo, propondo, não o falar “Dele”, nem ouvir sobre “Ele”, mas, muito mais; “ouvir Ele” e “falar Ele”, pois "Ele" mesmo é toda a Escritura!
Evengelho “Jesus Pregando Jesus” não é uma projeção distante de um ente chamado Jesus que fica trancafiado numa retoma hermética de conceitos doutrinários de comentários àcerca de sua pessoas; não!
“Jesus Pregando Jesus” é “Ele” mesmo caminhando o nosso caminho e dando-nos sentido real de colorido de incomparável valor e sabor à nossa caminhada!
Como se não bastasse!
Todo o “caminho-mensagem” e toda “mensagem-caminho” que não tem “Jesus Pregando Jesus” faz de Jesus “Peregrino-Caminho” em vez de “Guia-Caminho”!
Sim!…
É tornar a mensagem do Evangelho como a dos dois discípulos de Emaús que por algumas horas, mesmo tendo Jesus como “guia-caminho”, o viam como “peregrino-caminho”.
 
Tornaram-no o “ente-peregrino-passageiro” de seus “ente-peregrinos-des-caminhos” considerando-o “o peregrino do caminho!”

Qual é o Evangelho que temos vivído?
do Blog:Bonani Sim, Banana Não

Bonani
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Eu acho que voce não leu o que eu escrevi! Se leu, não entendeu!

Discipulo da Lei, da Moral, da "Re-forma" e de Westminster...rsrsr! (por que será que não estou impressionado?)

Não perderei meu tempo contigo! Se coloca vinho novo em odres novos! (conselho de Jesus)

Se encontre com Cristo e fique em paz!
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Olhar -"deformado"

A explicação do Bonani é perfeita e dispensa minha tréplica. Esqueça esse linguajar pedante de escolinha de teologia e tente entender o que ele escreveu, vai abençoar muito a sua vida e, com certeza, vai transformar o seu Cristianismo e o seu "olhar" reformado para uma "mente de Cristo"!

Parabens Bonani! e sinceramente, gostaria de colar essa sua resposta em meu Blog adaptando-o como um texto explicativo!?
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Marcelo Lemos:

Pare para meditar nas bobagens que voce escreveu, leia:

"Cristo baseou seu ensino sobre a Lei"
"Jesus na parabola está ensinando o valor de ouvir o que Moisés tem a dizer..."

"Os preceitos morais do Novo Testamento, mesmo na pena dos apóstolos, inclusive Paulo, são baseados nos ensinamentos da Lei de Deus!"

"qualquer destas comparações provará que o Novo Testamento se vale do Antigo como referencial para o que é a Vontade de Deus"

(tirei do seu texto!)

Cara! Na boa!
Voce já teve um encontro com Cristo?
Sério mesmo!
Voce ainda não entendeu o que Jesus fez na Cruz!
Fiquei preocupado com isso! Afinal de contas, voce escreve aqui e muita gente le esse blog!!

Olha, na boa. Pare de ler livros sobre a reforma e comece a ler o Novo Testamento sem nenhum comentário paralelo. Esqueça esse pedantismo teológico e procure entender a mensagem central do Evangelho!


Aí eu fiquei pensando aqui: Será que esse cara é Adventista do Sétimo Dia ou algum crsitão judaizante (tipo discipulo da Valnice Milhomes)?
 

Se voce for irei entender a sua "reforma teológica". Caso contrário, voce está muito equivocado sobre a Bíblia (e ser cristão)!

Fique na paz!

em tempo: creio que vale a pena voce ler o texto do Bonani (ele foi mais paciente do que eu!), mas sem "pré"-conceito.
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
BONANI;

Nossa! “Antinomismo” é “frasezinha de efeito”, e não a heresia desde sempre condenada pela Igreja.
 

No entanto, o querido, que tanto abomina “frasezinhas de efeito”, não se avexa em nos chamar a refletir sobre... hããã... “a concretização do concreto”, “guia-caminho”, “mensagem-caminho”, “ente-pereginos-des-caminhos”. Ufa! Acho que preciso escutar mais de Caetano Veloso, ou quem sabe, fumar um negocinho... Santa hipocrisia, senhor Bonani!
 

Agora, o que impressiona é a imcapacidade de compreesão. Pois quando vem me dizer que Cristo JÁ CUMPRIU, POR NÓS, AS EXIGENCIAS DA LEI, de duas uma:

a) ou a pessoa não entendeu nada do que escrevi;

b) ou a pessoa é um completo irracional.

Pois que eu disse exatamente isso: Cristo se fez NOSSA PÁSCOA. Então, se alguém pensa que estou pregando o cerimonial da Lei de Deus, deveria fazer curso de interpretação de texto.

Porém, caso a pessoa pense que Cristo NOS DEU CARTA BRANCA PARA PECAR, é um irracional, um tolo, um herege de marca maior.

Como eu demonstrei COM A BÍBLIA, Cristo e seus apóstolos INTERPRETARAM & APLICARAM A LEI MORAL aos cristãos, à Igreja! Pregar “Jesus” não é fazer poesia a “lá caetano”, com cheiro de maconha estragada, mas ensinar O MESMO QUE CRISTO ENSINOU. Ora, COMO DEMONSTREI, e ninguém teve peito de desmentir, JESUS APLICOU A LEI MORAL DO ANTIGO TESTEMENTO aos seus díscípulos.

Simples assim.

Marcelo Lemos
www.olharreformado.com
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
SINTONIA DE VIDA;

Pois é, eu não entendi quando o senhor AFIRMOU que eu estaria indo contra o pensamento dos reformadores: “(embora o próprio Lutero e Calvino tenha enxergado aquilo que voce recusa a enxergar) Voce está mais para discipulo de Móises do que para esses homens!”.

Mas, como eu demonstrei, o senhor fala daquilo que não conhece, pois a Reforma NUNCA NEGOU o valor da Lei Moral de Deus. Logo, quando eu afirmo que A BÍBLIA INTEIRA É NOSSA REGRA DE FÉ E PRÁTICA, que a Bíblia é o nosso guia MORAL, não estou indo contra os Reformadores – quem está indo contra a fé evangélica histórica É VOCÊ, com seu desprezo insano e pecaminoso a Lei de Deus.

Quanto as minhas afirmações, as quais o senhor chama de bobagens, ELAS FORAM ACOMPANHADAS DE TEXTOS BÍBLICOS – nos quais o senhor diz acreditar. Porém, A SUA “REPLICA” veio baseado em que? Na tua opinião? Por qual motivo eu deveria abrir mão do que ESTÁ ESCRITO para aceitar a tua... opinião a “la catetano veloso”?
 

O mais engraçado, e também que demonstra o tamhanho da sua cultura teologia e honestidade intelectual, é que agora você me aconselha a “ler MENOS livros da Reformada”, quando TUA ACUSAÇÃO ORIGINAL era que eu ESTAVA INDO NA CONTRAMÃO do que os Reformadores ensinaram.
 

Engraçado, hilário. E tolamente, com “frasezinha de efeito”, fica todo pomposo se perguntando preocupadamente se eu seria “adventista do sétimo dia” ou qualquer outra heresia do tipo – QUANDO ACABOU DE ME ACONSELHAR A PARAR DE SEGUIR A TEOLOGIA DA REFORMA PROTESTANTE! Cara, sua capacidade de manter uma argumentação coerente é de impressionar...

Well... talvez eu deva deixar o linguajar teológico de lado (para a alegria dos liberais); mas, o mais provavel, é que tem gente achando que Caetano Veloso tem mais a nos ensinar sobre ética e moral que a Palavra de Deus. É uma pena.
 

Marcelo Lemos
www.olharreformado.com
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Anônimo disse...
Bom se a "A BÍBLIA INTEIRA É NOSSA REGRA DE FÉ E PRÁTICA", como o Marcelo Lemos disse, então faço uma pergunta: Por que não cumprem então todos os preceitos? O Marcelo deve ser um daqueles que tem o proder de selecionar o que deve ser cumprido ou não. Quando se fala em consciência, Graça, é engraçado que todos já pensam "NAQUILO", e acham que estamos falando em libertinagem. Como o "SINTONIA DE VIDA" falou para o Marcelo: "é melhor você conhecer Jesus, de fato, como ELE É". O Verbo encarnado é Jesus, e não a escritura (creio que isso é dificil de entender)ehehhehee.

Fiquem na Paz!
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Marcelo Lemos...esquece o Caetano Veloso (cara! usa outra defesa!rsrsrs) e vai estudar a Bíblia, só a Bíblia!

A Reforma não fez bem pra vc!

Seu texto inicial ainda é muito confuso!
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Marcelo Lemos escreveu:

"JESUS APLICOU A LEI MORAL DO ANTIGO TESTEMENTO aos seus díscípulos".
 

Leia Hebreus tambem

cara!voce precisa ler melhor o sermão do Monte TAMBEM.

Quanto mais voce explica mais voce complica!!

Está defendendo o que?
Me poupe!
http://img2.blogblog.com/img/b16-rounded.gif
Profunda Reflexão! Mas, permita-me um pequeno adendo. Baseado na pequena alusão que fora feita, do poeta e cantor Caetano Veloso, ou seja, “O avesso, do avesso, do avesso, do avesso”.
Humildemente, chamarei à recorrência de segmentos fônicos equivalentes ou análogos genericamente de aliterações, não importando se as mesmas estiverem no interior ou em posição terminal dos versos, como ocorre com as rimas. Vale lembrar que esse fenômeno estruturante se faz pela repetição sonora, e se produz como um ressôo um eco. E, é necessário lembrar, havendo uma ressonância ou reflexão física de um efeito acústico na matéria significante do signo (mesmo que, por definição, extrapole o campo puramente lingüístico), e sendo correta como é a definição semiótica do signo, a partir de Ferdinand de Saussure, então deve haver uma espécie de “ressôo semântico” onde houver tais aliterações. Encadeia-se, a partir desse fenômeno, um remeximento nocional, que produz uma espécie de “eco dos sentidos”.
Nota-se a partir deste ponto, que realmente a intenção do poeta-autor, fora não propiciar algum tipo de ponto, ou centro, é exatamente “o avesso do avesso”, antecedido da rima, terminando em prosa. Sendo assim, o avesso da rima, produziu o inverso da prosa. No aspecto da física, podemos até arriscar ver uma similaridade, porque a motivação inicial que desencadeou para o aparecimento dos grupos quânticos, foi exatamente o método do espalhamento inverso quântico (Álgebras de Hopf). Quando partimos desta premissa, inevitavelmente iremos concordar com o relato bíblico, que diz: Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam. Heb 10:1. Neste sentido, não existirá nem verso, inverso, reverso ou avesso do avesso. Tudo mais é sombra, somente Cristo é a Realidade. Nisto consiste o Centro! Creio que o texto acima, pecou no sentido, de que partiu da periferia para o Centro. Toda interpretação Bíblica seja qual for sua amplitude, dever ter o Cristo como centro interpretativo! Com todo respeito a discussão formada, mas se não fora assim, tudo mais é sombra, inclusive as éticas, as morais, etc...etc... Somente Cristo, reafirmo, é a realidade! E nele o único principio existente é o princípio da Vida. Devemos ser norteados por este principio Que não é moral e muito menos ético. O querido que fez o texto, ainda esta desfrutando da árvore do bem e do mal. Bom seria ele começar a desfrutar da Árvore da Vida. A videira verdadeira que é Cristo. Pergunto, qual principio rege uma Videira? O Principio Moral, o principio ético. Não, mil vezes não. O principio que rege a Videira é o principio da vida, e contra este principio não há lei!
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
SINTONIA DE VIDA;

O que acontece é que você, sem conhecimento de causa, por puro preconceito sem razão, me tomou por um legalista que vê nos rituais da Antiga Aliança o caminho para a Salvação. Mas não é o caso! Como eu defendi NO TEXTO INICIAl, nós somos justificados UNICAMENTE PELA GRAÇA DE DEUS, e por isso Deus pode chamar PECADORES de JUSTOS.
 

No entanto, o senhor não gosta da Lei de Deus! E por isso, falseia minha teologia, como se eu defendesse uma salvação por obras, farisaica, legalista! Você, para criticar meu apego a Bíblia COMO SENDO TODA ELA NOSSA REGRA DE FÉ E PRÁTICA, resolveu criar um espantalho, e me acusar de “legalismo”, ou qualquer coisa do tipo.

Agora diz que não sabe o que eu defendo! Agora diz que eu devo deixar Caetano Veloso de lado, e apegar-me a Escritura – como tivesse sido eu a apelar para a autoridade moral do cara! Seria hilário, não fosse trágico!

Agora você me diz para ler Hebreus, o livro onde o Espírito explica que os RITOS DA ANTIGA ALIANÇA foram caducados! Perfeito! Justamente o que eu disse: CRISTO É NOSSA PÁSCOA!
 

Agora você diz que a Reforma não fez bem para mim; como se alguém que não entende nada sobre a Reforma – como ficou provado acima – pudesse julgar isso! Primeiro, a acusação era que eu andava na contramão da Reforma; depois que eu não havia entendido sua critica; e agora que a Reforma me fez mal. Pulando de galho em galho assim, dá pra ver o tamanho da tua convicção no que afirmas...

Acusações, calúnias, deturpações, mentiras... E tudo isso, fundamentado em sua pouca cultura bíblica e teológica (se bem que o senhor faz questão de se gabar por desprezar a Teologia). Pois, do contrário, jamais veria a Lei de Deus como tendo sido dada como um meio para JUSTIFICAR O HOMEM. Para isso a Lei é imperfeita, e jamais teve tal propósito ou intenção. Não fosse ingorante do assunto, saberia que a Lei foi dada para:

a) Definir o pecado. O pecado é transgressão da Lei. Por exemplo, sabemos que transar com um cachorro ou outro animal é pecado, pois a Lei de Deus assim o diz. S. Paulo diz isso em Romanos 7.7b; Romanos 5.13.

b) Convencer do pecado. O homem, confrontado com o padrão de Deus, percebe seu pecado, sua incapacidade, etc. Romanos 7.7, 9, 11.

c) Condenar a transgressão. A lei não apenas identifica o que é o pecado, mas também qual é a punição. E é a morte. Romanos 6.23. Isso valia no Antigo Testamento, e também no novo. Não há remissão de pecado sem derramamento de sangue (daí Cristo ter sido feito nossa Justiça, graças a Deus!) - Hebreus 9.22-28. Para os que estão sem Cristo no mundo, a morte eterna espreita, como sempre foi!

d) E o dito acima, nos leva a próximo próposito da Lei: conduzir o pecador a Cristo! Galátas 3.24.

e) A Lei restringue o mal. I Timóteo 1.8-11; Sl. 119.11. Essa Lei, que também está gravada no coração dos homens, ainda que de modo incompleto (se falamos do não regenerado), é o que dá sustentação a civilização – do contrário, reinaria o caos (foi este aspecto da coisa que o senhor não “captou” ao ler meu texto, por ignorar a fé evangélica histórica, e, principalmente, por ignorar as Escrituras – Rom. 1.12-16).
 

d) A Lei revela o padrão moral de Deus para o homem. A Lei não pode justificar nem santificar, mas ela nos mostra A VERDADE, o “bem” e o “mal”.
 

Marcelo Lemos
www.olharreformado.com
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
Caro ANONIMO;

Trata-se de uma questão de exegese, pura e simplesmente, o não sermos obrigados a cumprir “todos os preceitos', como o senhor acusa. Falta-lhe um maior conhecimento das regras de interpretação bíblica.

Parece-me que os criticos do texto acima não gostam muito da Reforma Protestante, mas vamos lá: a Bíblia é nossa única INFALIVEL regra de fé e prática. A Bíblia interpreta-se a si mesma.
 

Cristo, leia atentamente os versos que postei até aqui em resposta aos outros criticos, citou, interpretou e aplicou a Lei de Deus à Igreja – não vi nenhum critico refutando tais citações ainda, claro! E nem verei!
 

No entanto, o mesmo Cristo, pessoalmente ou por meio de seus apóstolos, como o autor de Hebreus, explica que vários preceitos da Lei ou foram caducados, ou reformulados. Isso é especialmente válido para os preceitos cerimoniais da Lei de Deus; por exemplo, o derramamento de sangue. Não que o derramamento de sangue tenha sido feito desnecessário, mas sim que Cristo OFERECEU-SE COMO SACRIFICIO ETERNO E PERFEITO. Daí a morte de Cristo ser chamada de EXPIATÓRIA/PROPRICIATÓRIA...

Vejamos outro exemplo: as regras alimentares. A Igreja se reuniu em Atos 15 para ponderar tais assuntos, e houve mudanças – inspirada, claro, pelo Espírito Santo.

Se não houve mudança... não houve mudança! Veja: é pecado transar com um boi, ou uma vaca? O PRESIDENTE LULA DISSE QUE GOSTAVA DE UMA CABRA... Que tal? Deixou de ser pecado? O irmão sabe que o Novo Testamento não diz nada sobre o assunto, não é mesmo? Mas continua pecado; e porque? Porque Deus assim o revelou em sua Lei!
 

Abraços!
http://3.bp.blogspot.com/-0JAh6dK5C8c/Ti3-gjVZvfI/AAAAAAAAAC4/Z-x0Ih3lPXo/s45/186079_680517016_2637817_n.jpg
Ideberto Bonani disse...
Meus queridos réplicos,tréplicos e outros mais discursantes dos Formalismos do Contestatório! Quando do uso de uma frase de Caetano, de uma de suas músicas, que por sinal é uma obra prima comparada com algumas baboseiras da nossa "Música Gospel", a qual, usei no meu humilde comentário, fi-lo porque assim me permite uma regra do recurso literário que se denomina: "Recurso Estilístico". O que acontece meu querido Marcelo, não querendo desmerecer seu texto inicial,configurado em postagem no Genizah, até porque entendo seu esforço e interesse em clarificar uma temática DA FÉ EVANGÉLICA, é que; dá a impressão de que você quis com o texto criar um "pombo", quando na verdade criou um "morcego!" Sim. Quando escrevemos algum texto que defende alguma tese ou tema, necessitamos minimamente conhecer algumas regrinhas indispensáveis que clarificam nosso pensamento literário,transformando-o em texto literário.Acresce que a nossa língua está tão pouco clarificada que apenas pensa com precisão e justeza quem escreve corretamente. Julgar que em nome duma postiça originalidade ou evidenciação do humano haja de se abolir a técnica, é pueril!Fazer tábua rasa da experiência adquirida no domínio da expressão não pode deixar de representar um inútil, inglório e malogrado intento. A palavra é como o mármore na estátua; dar a essa matéria semblante de vida, curvas voluptuosas, sombras quentes, frémito, solidez, eis o difícil objectivo, que, não se alcança de golpe. Com verbo desordenado, segundo a flux apocalíptica da imaginação, só poderá obter-se uma turva e destrambelhada arte.
Não torne por favor o avesso do Caetano, numa avessa interpretação literal, fazendo de mim um utilizador de tais palavras como ferramenta apologética!
Simples como isso Marcelo; simples como isso!...
Bonani
http://img2.blogblog.com/img/b16-rounded.gif
e u prefiro ouvir o Cristo. No monte da transfiguração, vemos a figura de Moisés representando a Lei e a figura de Elias representando os profetas. O símbolo da lei estava lá como também o símbolo da profecia. Mas ambos, que por toda a dispensação do Velho Testamento foram qualificados para falar, foram silenciados por Deus. “Este é o meu Filho amado”, Ele disse, “a ele ouvi”. Hoje o modelo para o cristão não é nem a lei nem os profetas; é Cristo, o Cristo que habita em nosso interior. Portanto, a questão não é: “Estou certo ou estou errado? mas: “a vida divina em mim"! No sermão do monte vemos este mesmo princípio sendo aplicado, quando Cristo diz: Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. "Em 1 Coríntios 4:4, Paulo diz: “Porque de nada me argúi a consciência; contudo, 
nem por isso me dou por justificado, pois quem me julga é o Senhor”. É fácil fazer distinção entre bem e mal, mas Paulo não era governado pelo bem e mal. Mesmo quando ele não tinha consciência de ter feito alguma coisa errada, ainda assim não ousava afirmar que tudo estava certo com ele; reconhecia que o Senhor era seu juiz. No trono do julgamento é o Senhor quem nos julgará, mas a Sua vida está agora em nós e está
 
dirigindo o nosso caminho. Por essa razão Paulo disse em 2 Coríntios 5:7: “Andamos por
 
fé, e não pelo que vemos”. Seria bom, nosso querido amigo, Marcelo Lemos, começar a ter iluminação das Sagradas Escrituras a partir do Gênesis. Se assim, retomarmos a discussão, ele vai entender. Mas enquanto estiver, provando a árvore do conhecimento do bem e do mal. Vai ficar aí, mais perdido que barata quando cai de caminhão de mudança. Estou disposto a retomar de discussão, a partir do âmago!
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Eu creio que o tema da "Moral", de fato, deveria ser mais amplamente debatida, a mentalidade do Marcelo Lemos é a mentalidade da grande maioria do cristãos deste país, sejam os reformados, avivados, carismático, pentecostais, neo pentecostais. Talvez aí esteja a causa maior do endurecimento que blinda a penetração do Evangelho de Jesus no coração desse povo! É um puro auto engano acreditar que Ética, Moral, Leia pode ser somado à obra de Jesus fez na Cruz uma vez para sempre! Além das aberrações dos movimentos neo pentecostais ainda temos que lidar com a ala que se intitula "reformada" mas que não conseguiu transformar o protesto da reforma numa proposta clara do Evangelho libertador de Jesus. É uma fatia que protesta sem proposta! E o pior, se julgam morais!

Tentar estabelecer uma "defesa" moral a partir dos personagens do Antigo Testamento é desnecessário e improdutivo. Sabemos que a mensagem das Escrituras é só apontando o Cristo como nosso Padrão para a Vida!

parabenizo novamente o Bonani por explicitar com muita propriedade e de uma maneira muito mais "intelectualizada" do que eu (segundo o Marcelo) o Cristo Eterno como padrão para as nossas vidas!

Que Deus use esses "comentários" nas vidas dos leitores que passarem por aqui!
http://4.bp.blogspot.com/-m5Hil3iKj9Q/ThLxOEvva1I/AAAAAAAAAE8/BazyyNPu9WY/s45/dede.jpg
Denison Santos disse...
Lewis fala acerca dos valores morais em Cristianismo Puro e Simples, mas hoje o evangelho pregado e vivido pela maioria dos evangélicos é uma grande farsa, onde a graça foi substituída pela grana, e os valores morais são relativizados de acordo com o que o sujeito tem no bolso, Caio Fabio em Enigma Da Graça faz uma analise da vida de Jó,sendo esmagado pela graça de Deus,ele aborda quatro variações entre a mentira e a verdade,sob a ótica dos valores morais,e da arte de se falar sobre Deus nos palcos,das falsas impressões,tal como faziam os escribas e fariseus no tempo de Jesus,os quais falavam de Deus,mais na verdade nunca tiveram um encontro real com Deus.
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
BONANI;

Para quem disse não gostar de frases de efeito, o senhor é um prodigio! Essa coisa de “discursantes dos Fomalismos Contestatório”, com letras maiúsculas e tudo, foi “show” de bola.
 

Mas, ufa! Que alivio descobrir, depois de tanto... como é mesmo... hã... “Formalismos Contestatório”, que sua critica ao meu texto é meraramente literário. Ufa! Pensei que era teológica...

Bom, meu querido, uma vez que não pretendo concorrer a uma cadeira na Academia Brasileira de Letras (se bem que até coelhedos andam fazendo ninho por lá...), não tenho qualquer objeção! Preocupa-me apenas a sua teologia, que se antinomista, é lixo e heresia condenada desde sempre pela Igreja. O resto, é resto!
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
NAPOLI;

Retomar se pode apenas daquilo que foi deixado; e não me lembro de já ter discutido tal assunto como senhor, nem aqui no Genizah, nem em lugar algum. O que o senhor fez foi trazer argumentos novos, IGNORANDO COMPLETAMENTE OS QUE EU JÁ USEI – Aliás, ignorados não apenas por você, mas pelos demais, inclusive pelo “outro” Bonani... De modo que o senhor não pode “retomar” nada, pois acabou de saltar de paraquedas.
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
SINTONIA DE VIDA;

Eu te aconselho a repensar o seu desprezo confesso pelos estudos teológicos. Sim, pois a continuar neste passo o senhor está fadado a burrice eterna! Ora, ninguém está falando de acrescentar nada a Obra de Cristo. Isso é invenção da tua cabeça! Ou melhor, é pura leviandade, falso testemunho! E tudo isso nasce de onde? Da completa ausencia de cultura teológica e biblica em você!

O mais hilário é a hipocrisia e a covardia travestidades de “intelectualidade”. Novamente, vem com insonso discurso de que eu estaria indo na contramão da Reforma. Ora, mas você nem sabe o que a Reforma ensinava! Se você realmente estivesse preocupado com 'reforma', não estaria reclamando do fato de eu representar o pensamento reformado!
 

E ainda pior: o senhor de duas uma, ou é um analfabeto funcional ou é intelectualmente desonesto. Apesar de eu ter destruido todas as tuas objeção até aqui, me aparece com uma nova. Agora, alega que eu teria tentado defender uma moral “APARTIR DOS PERSONAGENS DO ANTIGO TESTEMANTO”. Quando eu fiz isso, senhor SINTONIA DE VIDA? O senhor por acasa se deu ao trabalho de ler o meu texto? O senhor, quem sabe, pode ler que meu texto FAZ EXATAMENTO O OPOSTO? Quem sabe, talvez, por acidente apenas, o senhor tenha notado que o alvo do meu texto é justamente demonstrar QUE OS PERSONAGENS BÍBLICOS, E MESMO OS CRISTÃOS, NÃO SÃO EXEMPLO DE MORALIDADE?
 

Afinal, o senhor sabe ler?
 

Por fim, eu não pretendo ser “intelectualizado”, algo que você tanto preza, filho! E, de que me adiantaria ser “intelealizado”, se não coseguisse sequer compreender um texto publicado em blog? De que me adiantaria isso, se terminaria criticando um texto POR AQUILO QUE O TEXTO NUNCA DISSE? Prefiro, então, não ter a intelectualidade (sic!) dos Velosos da vida...

Marcelo Lemos
www.olharreformado.com
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
Mas por que ofender tanto assim amigo "reformado"?
Não consegue permanecer no debate das idéias sem ofender? Esse é o seu nível de maturidade emocional e intelectual senhor "Teólogo reformado"?
Não suporta contestações de seus temas improdutivos e irrelevantes?
Se esse é o seu nível, paramos por aqui! Desde o principio desconfiei que voce (muito blá blá blá) era assim! (sic)

Fique bem!
http://img2.blogblog.com/img/b16-rounded.gif
Marcelo Lemos:
Eu não estou caindo de Paraquedas. Somente estou aterrizando, no chão da clarificação! Você argumentou, argumentou e não explicou nada. Quero que o Sr. aplique-se, ao âmago da discussão. Quero somente lhe fazer um singela pergunta: O Senhor esta ligado a Lei ou esta ligado a Videira Verdadeira que é o Cristo? Se esta ligado a Videira Verdadeira, então me explica: Qual o princípio que rege uma Videira? Qual é a "Lei" que rege uma videira?
http://3.bp.blogspot.com/-0JAh6dK5C8c/Ti3-gjVZvfI/AAAAAAAAAC4/Z-x0Ih3lPXo/s45/186079_680517016_2637817_n.jpg
Ideberto Bonani disse...
Eu tinha decidido não mais comentar o texto do Marcelo, entretanto, a forma tão violenta que ele tem verbalizado nos comentários, com muita asserção frásica; leva-me a discorrer minha última participação. Alias: já previa no 2º comentário que fiz, de que: …Entretanto, o próprio Jesus discorre que toda a lei e os profetas tem-no como ponto "convergente" e "desencadeante", e porque não dizer, posto que o nosso próprio debate assim confirma na ótica de algumas posições teológicas; ponto "divergente" de análise! 
A analogia que faço é a seguinte: Assim como Wellen G. White e as prescrições legalistas e morais do Velho Testamento estão para os Adventistas, da mesma forma; Calvino, As Institutas, a CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER e o tal Olhar Reformado estão para o Marcelo. Tão fácil como isso!
O blog do Marcelo tem como slogan : “Olhar Reformado”. “A simplicidade” do Evangelho de Jesus…
 
Marcelo, se isso é “simplicidade” do Evangelho, imagine quanto você postar um tema com “complexidade”, ou seja; uma dose maior de profundidade!
 
Não escrevo mais sobre isso!
Bonani;
…No avesso do “Veloso” para o “meloso” do Marcelo!
http://4.bp.blogspot.com/_RmO1qVuj3hE/TUgYRmVn98I/AAAAAAAAAAk/Aya6ns4soTU/s45/escravo%25252Bdo%25252Bc%252525C3%252525A9u.jpg
Graça e paz do SENHOR aos irmãos do blog...

"Se me amais, guardareis os meu mandamentos" (João 14:12)

JESUS ordenou à obediência aos seus mandamentos! Que tal obedecermos?
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
SINTONIA DE VIDA;

Verdade! Desde o princípio você disse que não perderia seu tempo comigo, que não valia a pena. Mas aqui estamos nós, vários dias, e várias postagens depois!
 

Agora uma nova desculpa, um novo argumento esfarrapado: que eu estou lhe ofendendo, simplesmente por demonstrar que o senhor não respondeu nenhum dos meus argumentos, não sustentou nenhuma de suas acusações – incluindo aquela que dizia que eu estava indo contra a fé reformada (o que demonstrei que era mentira). E é mentira mesmo; e se isso te humilha, te ofendem, apenas demonstra que eu disse a verdade, e que lhe faltam os argumentos.
 

Veja, senhor Sintonia de Vida, como a sua heresia antinomiana é baixa, fragil, sem sustentação logica e biblica (desculpe o pleonasmo). Quando o senhor estiver disposto a a discutir os argumentos BÍBLICOS QUE EU APRESENTEI nas minhas respostas (covardemente ignorados até aqui por você, e por outros), agente continua com... hããã... digamos... o “Formalismos Contestatorio”.

Mas, não vou deixar você fujir assim tão COVARDEMENTE senhor acusador! Vamos lá: PROVE TUA ACUSAÇÃO de que meu texto apregoe que os personagens do Antigo Testamento sejam padrão de moralidade! Vamos lá. Sem covardias de última hora, poupe-me!
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
NAPOLI;

Se não expliquei nada, não é dificil refurar meus argumentos. Fico aguardando o senhor entrar no debabe, depois de ter caido por aqui, com ou sem paraquedas.
 

Contudo, posso não ter explicado, ou você não ter endendio; afinal, continua insinando que eu seja legalista – o que meu texto desmente completamente, e também os meus argumentos nos comentários. Mas, há ainda uma terceira opção: que o senhor nem saiba do que estamos falando, como o Sintonia de Vida, que me acusou de contradizer a teologia reformada.

Seja como for, entre no debate, e conversamos melhor.

Marcelo Lemos
www.olharreformado.com
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
BONANI;

É impressionante, dada a imensa disposição de todos você, contrários, a não mais me responderem (já que não podem!), o fato de não largarem o osso (vergonha da surra, talvez? ). Só não impressiona que a cada novo comentário, nasçam novas acusações vazias, sem fundamentos, sem provas – e, PARA PIORAR, contraditórias.

NUM PRIMEIRO MOMENTO a acusação era de que eu me revelava INFIEL a teologia reformada. No entanto, eu PROVEI QUE TAL ACUSAÇÃO ERA FALSA.

Agora, a acusação mudou, desavergonhadamente. O que ocorre, diz os meus acusadores, especialmente o Bononi “1”, é que eu SOU MUITO FIEL A TEOLOGIA REFORMADA. Sou tão fiel, segundo avaliaão deles, que comparam minha teologia com o apego dos sabatistas aos textos da Sra. Ellen White!

No mínimo, acho que mereço, então, ao menos um pedido de desculpas pela MENTIRA PRIMEIRA, não é mesmo? Ou seja, de quando me acusaram de ser INFIEL ao pensamento evangélico histórico!

No entanto, apesar de eu realmente não ter “papas” na língua: chamo mentiroso de mentiroso, incompetende de incompetente e falsificado de falsificador; existe algo que muito prezo: a verdade.Algo que, dada a chuva de falsa acusações até aqui, meus detratores não parecem valorizar muito, infelizmente. Se bem que valorizam fazer pose de vitima, questionando até o meu equibrio emocional (deve ser por isso que não seguem os ensinos de Cristo, já que este não poupava palavras para expor a irracionalidade dos opositores, e se valia de palavras muito mais duras que as utilizadas por mei até agora, risos!!!).

Você, senhor Bonani, e outro rapaz, e talvez até um terceiro, recêm-chegado, quer apenas contradizer, criticar, falar mal – mesmo que sequer saiba o que diz. E, como não me contento em acusar, vamos as provas da sua mentira:
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
Por exemplo, quando diz que a o texto da CFW ou o das Institutas fossem o equivalente ao “grande conflito” (EGW) dos hereges citados. Isso é mentira. Em primeiro lugar, isso isso não seria possível nem mesmo se eu fosse presbiteriano, pois as próprias confissões de fé reformadas (presbiterianas) são parlamentaristas e abertas a revisão (como já se fez várias vezes ao longo dos anos). Em segundo lugar, eu não sou presbiteriano, e não subscrevo nem a CFW nem as Institutas – apesar de valorizar bastante tais documentos.

Seja como for, quer na primeira possibilidade, quer na segunda, você Bonani, mais uma vez fala daquilo que não conhece; e por não conhecer, mente uma vez mais.
 

Mas, caso você tenha tanto interesse em me conhecer, talvez seja útil saber que sou anglicano, e subscrevo os 39 Artigos e o LOC de 1662. Mas, ATENÇÃO: não é porque sou anglicano que sou adepto da teologia gay, hein? Alías, a maioria de nós não é justamente porque... hããã... somos... reformados? ? ? ? ? ? ? ? ? ?
 


Sobre a Lei Moral, os 39 Artigos, como qualquer outra confissão reformada, diz: “ Ainda que a Lei de Deus, dada por meio de Moisés, no que respeita a Cerimônia e Ritos, não obrigue os cristãos, nem devem ser recebidos necessariamente os seus preceitos civis em nenhuma comunidade; todavia, não há cristão algum que esteja isento, da obediência aos Mandamentos que se chamam Morais” (Artigo VII). Mas você não sabe disso, afinal, insiste em me acusar de legalismo, de trocar Cristo por Moisés, ou qualquer outra baboseira deste nipe.

A clareza da teologia evangélica história é tamanha sobre este assunto, que não não me surpreende constatar que a acusação dos senhores mudou da água para o vinho: antes, eu era infiel a ela; agora, sou demasiadamente fiel. Uma prova, aliás, da incompetencia dos senhores para julgar o assunto. Mas, depois destas aulas, os senhores terão de escolher melhor os argumentos na hora de defenderem sua heresia antinomista. Não esqueçam de me agradecer, hein? Brincadeirinha...

Com efeito, a teologia reformada, sempre valorizou a Lei Moral como de muita utilidade para o cristão regenerado. Você pode ver tal fato na CFW, nos sermões dos puritanos, nos catecismos presbiterianos, batistas, E ATÉ MESMO NO CATECISMO DE MARTINHO LUTERO. Em todos eles, salvo alguma exceção que me fuja agora, há uma clara e contundente EXPOSIÇÃO DOS 10 MANDAMENTOS, e isso, evidentemente, sob o entendimento de que os cristãos, apesar de não serem salvos PELAS obras, são salvos PARA AS boas obras, conforme o ensino inspirado do Apóstolo S. Paulo à Igreja de Éfeso. Além disso, permita-me ensinar-lhes mais um detalhe: faz se distinção entre aquilo que é “cerimonial” e “moral”, além de “civil”.
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Marcelo Lemos disse...
O Evangelho é, de fato, simples: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vém de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus PARA AS BOAS OBRAS, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” (EFÉSIOS 2.8-10).

Porém, quem sabe, na cabeça antinomista do Bonani, um “evangelho simpes” sejam meramente uma CARTA BRANCA para o cristão pecar o quanto desejar, e bem entender. Se for este caso, de fato não cremos no mesmo evangelho. Pois, tal aberação, NUNCA FOI ENSINADA POR JESUS, que nos diz:

“Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou til se omitirá da Lei sem que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes menores mandamentos e assim ensinar aos homens será chamado o menor no Reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no Reino dos céus” (S. Mateus 5.18,19).
 

E, ao jovem rico, ENSINOU JESUS:

“Se queres, porém, entrar na vida, GUARDA OS MANDAMENTOS.

Perguntou o Jovem: “Quais?”
 

E Jesus respondeu-lhe: “Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo” (S. Mateus 19. 17-19).
 

O mesmo ensinou S. Paulo, apóstolos dos gentios: “A circuncisão é nada, e a incircuncisão nada é, mas, sim, a observância dos mandamentos de Deus” (I Cor. 7.19).

Em contrapartida, o desprezo, a revolta, e a perseguição àqueles que valorizam e procuram obedecer a Lei de Deus é uma característica dos anticristos, conforme nos revela o vidente S. João:

“E o dragão irou-se contra a mulher e foi fazer guerra ao resto da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus Cristo” (Revelação 12.17).

Observem, então, que apenas numa cabeça completamente alheia ao ensino do Novo Testamento, existe o falso dilema entre seguir a Cristo ou obedecer os mandamentos do Senhor. Os que nascem de novo pela Graça, seguem a Cristo (guardam os mandamentos)! Simples a assim!

Marcelo Lemos
www.olharreformado.com
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Graça e paz do SENHOR aos irmãos do blog...

Eu não acredito que eu estou vendo isso! Como é que vocês, antinomistas, tem a coragem de dizer que são cristãos? Se esquecem do que o próprio Cristo ordenou a mulher adúltera: "Vá e não peques mais" (João 8:11)? Se esse evangelho antinomista é "graça pura" que não leva a transformação alguma, então não existe "porta estreita" (Mt: 7.13-14)!

Por favor antinomistas, escutem a voz de Bahsen:

"Paulo claramente classificou e incluiu a aliança mosaica — a aliança da lei, que tinha edificado um muro entre judeus e gentios e alienado os incircuncisos da “comunidade de Israel” — como parte integrante do que ele chamava de “alianças da promessa” (Ef 2.12). Havia muitas alianças (plural) no Antigo Testamento, mas todas eram administrações de uma promessa (singular) subjacente de Deus. Os teólogos podem até falar apropriadamente de “lei” e “graça” como rótulos convenientes para as duas administrações da aliança (que são, nova aliança e antiga aliança), mas a Bíblia afirma enfaticamente que as duas são administrações da graça (ou promessa) como o único caminho para aceitação diante dele. A aliança da lei foi uma manifestação da promessa de Deus, não de legalismo. A administração da lei da antiga aliança (ou a própria administração mosaica) não ofereceu uma forma de salvação nem tampouco ensinou uma mensagem de justificação que difere daquela encontrada no evangelho da nova aliança"
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
E mais: Se a graça plena do evangelho nos liberta da obediência à Lei de Deus, porque a obediência é comparada a fé em Hebreus? Percebam: em Hebreus 3: 18 Deus afirma que os israelitas rebeldes não entrariam no seu descanso porque foram desobedientes à Lei de Moisés. Só que, no versículo posterior o escritor inspirado afirma:

"E vemos que não puderam entrar por causa da incredulidade" (Hebreus 3:19)

Ou seja, Fé e obediência são dois lados de uma mesma moeda! O Escritor continua dizendo que o mesmo "evangelho" que nos foi pregado, foi pregado a eles:

"Porque também a nós foram pregadas as boas novas, assim como a eles; mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não chegou a ser unida com a fé, naqueles que a ouviram" (Hebreus 4:2)

E olha que interessante: Essa mesma incredulidade às Boas novas de Deus foi demonstrada pela rebeldia e desobediência aos mandamentos de Deus:

"Visto, pois, restar que alguns entrem nele, e que aqueles a quem anteriormente foram pregadas as boas novas não entraram por causa da >>DESOBEDIÊNCIA<<" (Hebreus 4:6)

Ah! por favor, deixem de ser hipócritas e obedeçam aos mandamentos de Deus!
http://img2.blogblog.com/img/b16-rounded.gif
Marcelo Lemos:
Seu texto afirma; "A Escritura como sendo o Padrão Divino para a ética e a moralidade". Eu discordo! Para mim, o Cristo é o molde, somos conformados Nele. Sem o Cristo como (chave de interpretação) ou o centro das escrituras, nem mesmo a Bíblia tem valor. Se você retirar o Cristo do Centro interpretativo, poderá utilizar-se de um milhão de versículos para argumentar-se e estará equivocado. É somente isto, que precisas apreender, ou seja, fazer uma hermenêutica bíblica correta, partindo da premissa, também correta. Veja quantas coisas que você colocou como Centro de seus argumentos: Abraão, Ló, Isaque, Davi, Salomão, artigos da confissão Anglicana, Leis morais, cerimoniais, etc, etc. Eu lhe pergunto: Onde esta o Cristo? Onde? Refaça seu texto, coloque o Cristo como centro interpretativo. Desta forma, podemos começar a conversar, sobre o assunto. Desculpa, mas da forma como esta, esta muito raso o seu assunto. Fico até constrangido, de ter que utilizar-me do meus conhecimentos do Hebraico, Aramaico e Grego Bíblicos, no desenvolvimento da temática. Bom tá dado o recado. Por isto que lhe perguntei: Você esta ligado a Videira Verdadeira, que é o Cristo? Hoje, nossa Árvore da Vida(Videira). Lhe perguntei: Qual é o padrão ético e moral que rege um Videira? Os ramos ligados a Videira, devem obedecer algum padrão para seu desenvolvimento, qual seria este padrão? A ação do homem não deve ser governada pelo conhecimento do bem ou do mal; deve ser motivada pelo senso de obediência. O princípio do bem e do mal é viver de acordo com o que é certo ou errado. Antes de Adão e Eva comerem do fruto proibido, o que era certo e errado para eles estava na mão de Deus. Se não vivessem diante de Deus, não saberiam nada, pois o que era certo e errado para eles se encontrava real¬mente no próprio Deus. Consequentemente, de¬pois da queda os homens não precisaram mais descobrir em Deus o senso do certo e do errado, Já o tinham neles mesmos. Este foi o resultado da queda. A obra da redenção é levar-nos de volta ao lugar onde encontramos o que é certo ou errado para nós em Deus, isto obtém-se, estando ligado a Videira Verdadeira.
 
Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam. Heb 10:1. Você esta baseando sua tese em sombras e não na imagem exata das coisas. Que é o Cristo!
Com todo respeito as morais, éticas etc..etc...
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
O problema é que o Marcelo Lemos está incluído naquela categoria de Mateus 16 onde Jesus pergunta:"Quem diz os homens ser o Filho do Homem?". Para o Marcelo Jesus não cumpriu a Lei, Jesus é apenas mais um profeta tipo Elias, Moisés, Jeremias. O Marcelo não ouviu Deus dizer:" A Ele ouvi!". Ele ainda se segura na Lei e em Jesus! Seu texto inicial é muito equivocado. Ele pode usar a Bíblia inteira ( e sua pretensa sabedoria anglicana) aqui mas continuará equivocada pois ele ainda não teve um encontro real com o Cristo vivo, ele só conhece o Cristo histórico. A maioria dos "protestantes" são como ele, infelizmente.

Já havia lido alguns textos anteriores dele e havia ficado meio perturbado com a compreensão que ele tem do Evangelho, agora depois disso, pra mim ficou claro que ele não entendeu a Cruz.

Seus textos são irrelevantes! E escrevo não à ele (visto que o cara é um tapado!) mas por amor e preocupação pelos que estarão "passando" por aqui!

Jesus (e não a lei moral ou mosaica E NEM O CATECISMO ANGLICANO) é a CHAVE HERMENÊUTICA DAS ESCRITURAS!

Voce consegue ler entender essa última frase Marcelo reformado?

Vou repetir:

JESUS É A ÚNICA CHAVE HERMENÊUTICA DA BÍBLIA!

(minha filha de 5 anos consegue ler!!)
http://img2.blogblog.com/img/b16-rounded.gif
Jesus o Caminho disse...
O "Sintonia de Vida" e "Fernando Napoli Bonani", o problema do Marcelo, que se irrita tanto, é que ele pensa que vocês estão indo contra qualquer mandamento; ele pensa que queremos viver na libertinagem. O fato é que como o "Bonani" falou: não é questão de viver no certo ou errado. Nossa ética é conforme o evangelho e o Evangelho é Jesus, basta ver como ele tratou os pecadores, como ele tratou os fariseus, como enxergava a vida. Hoje, se Jesus estivesse no nosso meio, os Reformados e etc... o julgaria de IMORAL, pelo fato de se assentar com os publicanos (que na época eram considerados imorais) e de beber vinho e comer do pão do templo dentre outras coisas..e ainda por cima diriam: "Esses Jesus não está cumprindo a MORAL das escrituras, pois não está obedecendo o Salmos 1, "não assenteis na roda dos escarnecedores" ESTÁ ESCRITO UÉ"hehehehe. TODA ESCRITURA TEM QUE SER VISTA A PARTIR DE JESUS, moral serve apenas para julgar o próximo. O que temos é que vivier em amor, na consciência do Evangelho..e até o que Paulo escreveu tem que estar no Espirito de Jesus, senão pode ser descartado..
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
"Escutem a voz de Bahsen"

Isso é uma piada?

(rsrsrsr)

Anglicano, Luterano, Catecismo Romano, BAhsen, Moisés, Antinomistas, Institutas, CFW, Catecismo do FUlano, CQC...será que alguem aqui ouve Jesus?

(rsrsr)
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Marcelo! Voce me chamou de covarde? Filhote, nós só estamos no começo de nossa conversa. Gente como voce eu "almoço" semanalmente num programa radiofonico que tenho aqui em minha cidade. Voce pra mim não é diferente de um Testemunha de Jeova, Mórmom ou Sabatista. Mas sou vou te responder quando me "sobrar" tempo. Mas te confesso uma coisa: dou muita risada quando leio os teu artigos e comentários!
E sinceramente, nem comecei a falar de assuntos mais profundos da Bíblia com voce, visto que voce ainda está no jardim de infância da fé!

Fique na Paz!

Quantos mais reformadores irá ressuscitar para plagiá-los?
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Graça e paz do SENHOR aos irmãos do blog...

"Sintonia de vida" que não tem sintonia alguma com as Escrituras... por favor, que parte do comentário de Bahnsen foi antibíblica? Você falou, falou, deu risada e... só! Não vi nenhuma refutação bíblica para o argumento proposto pelo irmão mencionado. E quanto a Hebreus... você não leu? Por favor... explique o que o autor da carta ensinou quanto a fé e a obediência aos mandamentos.

Que Deus nos abençoe e preserve de uma fé sem obras!
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
"Ministério Apologético"

leia a Espístola INTEIRA aos hebreus e voce perceberá que alí Jesus;
É maior que os Anjos
É maior que Moisés]
É maior que a lei
É maior que o Tabernáculo
É maior que o sacerdócio levitico
É maior que o sábado
É maior que a Antiga Aliança

enfim, será que esses caras estão lendo que Bíblia??

Concordo plenamente com "Jesus é o caminho" vai ver que esses caras estão entendendo que queremos viver na "libertinagem"?! Se é isso que eles entendem, então eles não entenderam nada até agora!!

Vai saber...
http://2.bp.blogspot.com/-z6FClVWMWv4/TXwJQRmiOPI/AAAAAAAABM0/6keA1cmUL5s/s45/Fotos%25252B106.jpg
O engraçado é que as minhas perguntas ninguem dos "apologetas reformados" responderam, por isso me abstenho de responder esses perguntinhas de escola Dominical desses caras!!
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
NAPOLI;

Você me diz, então, que NÃO ACEITA QUE A BÍBLIA SEJA NOSSO PADRÃO MORAL. No entanto, diz que aceita que Cristo seja nosso padrão moral. Isso, por si só, é uma auto-contradição, já que o senhor não pode conhecer Cristo SEM A ESCRITURA – quem nos revelou Cristo é a Escritura. Quem Cristo é, o que ele fez, o que ele exige, o que ele fará, tudo isso nós sabemos POR MEIO DA ESCRITURA.
 

Além disso, tua acusação de que eu estaria tirando Cristo do centro é falsa, completamente. Nunca fiz isso, nem farei. Cabe ao senhor, que acusa, provar que fiz tal coisa. O que não fará, como já estou me acostumando, risos. Meu texto jamais disse que Ló, Abraão, ou qualquer outro personagem do Antigo Testamento seja nosso padrão moral. Isso é invencionisse tua, falsa acusação, perjúrio, kkkk. O senhor está distorcendo meu texto para atacá-lo. O objetivo do meu texto foi justamente o oposto: se os personagens do Antigo Testamento NÃO SÃO EXEMPLO DE MORALIDADE, como a Bíblia pode ser? Este foi o meu argumento, o resto é despeito ou incompetencia tua.

Outra coisa, guarde os textos sobre os cerimoniais da lei para os judeus, judaizantes, e outros, não para mim, que já me cansei de afirmar aqui que Cristo cumpriu tudo isso por nós. Não tenho nada com isso, e o fato de você insistir no argumento me diz duas coisa: a) ou que você não sabe ler; b) ou que você é desonesto.

A menos, claro, que você possa provar que eu esteja ensinando que devemos nos apegar as cerimonias do Antigo Testamento. Fico no aguardo (ou melhor, continuo aguardando...).
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
JESUS O CAMINHO;

Verdade! Jesus bebia vinho, comia um bocado, e tinha compaixão dos pecadores! Mas, desde quando isso fere os Mandamentos de Deus? Valer lembrar, que Jesus criticava os fariseus não por seu apego aos mandamentos, mas sim, pelo fato de que eles, acrescentando mandamentos HUMANOS aos divinos, INVALIDAVAM a Lei Moral. Confira, por favor:

“Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós também O MANDAMENTO DE DEUS PELA VOSSA TRADIÇÃO? Porque Deus ORDENOU dizendo: Honra teu pai e tua mãe; e que: quem maldizer ao pai ou a mãe, que morra de morte.
 

“MAS VÓS DIZEIS: qualquer que disser ao pai ou à mãe: é oferta ao Senhor o que poderias aproveitar de mim, esse não precisa honrar nem a seu pai nem a sua mãe!

“E ASSIM INVALIDASTES, PELA VOSSA TRADIÇÃO, o mandamento de Deus!” (S. Mateus 15.3).

Veja, meu querido, está Jesus criticando os Mandamentos de Deus, ou as tradições acrescentadas pelos fariseus? Mais adiante, Jesus vai citar Isaías, dizendo que o povo era hipocrita, pois queria servi-LO valendo-se de “mandamentos humanos”, e não através dos mandamentos dados pelo próprio Deus. Quem é o problema aqui, os Mandamentos, ou as tradições humanas que foram acrescentadas?

Ah, em tempo: EU NÃO PENSO QUE VCS QUEIRAM VIVER NA "LIBERTINAGEM". Nego isso. Alías, nem os ateus, que são a-morais, querem isso completamente, não é mesmo?

O que estou dizendo que é, por serem antinomistas, são irracionais se tentam justificar sua própria moralidade. Por exemplo, o rapaz de cima acabou de dizer que a BÍBLIA NÃO É PADRÃO DE MORAL. Já você, talvez sem perceber ou querer, diz o contrário: afirma que, “TODA A ESCRITURA PRECISA SER VISTA A PARTIR DE JESUS” - é uma afirmação verdadeira, diga-se de passagem, porém, ela pressupõe que a Bíblia É AUTORIDADE MORAL. Logo, você e o rapaz a quem você veio em auxilio contra mim, não estão falando a mesma língua. Interessante, não?
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
SINTONIA DE VIDA;

Cara, o seu programa de rádio, ou mesmo que fosse um programa no horário nobre da Globo, não altera em nada o fato de você ter feito UMA ACUSAÇÃO FALSA CONTRA MIM, e de, até o momento, não ter sido capaz de sustentá-la. O seu programa de rádio NÃO TEM QUALQUER AUTORIDADE para decidir o assunto, assim como o fato de eu escrever para o maior portal evangélico do Brasil (Genizah), não ser ponto a meu favor. Me poupe de tamanha sandice, por favor, hein? Risos.

Um dia da caça, outra do caçador. Ao menos aqui, você está sendo o “almoço”, hein? E, cá entre nós, de fácil digestão.
 

E, muito obrigado por admitir que somos reformados! Afinal, parte da acusação era que não estava sendo fiel a Calvino, Lutero... Que bom que te ensinei alguma coisa. Não esqueça de agradecer (risos).

Marcelo Lemos
www.olharreformado.com
http://4.bp.blogspot.com/_RmO1qVuj3hE/TUgYRmVn98I/AAAAAAAAAAk/Aya6ns4soTU/s45/escravo%25252Bdo%25252Bc%252525C3%252525A9u.jpg
Graça e paz do SENHOR aos irmãos do blog...

Para o "JESUS o CAMINHO":

1) "não é questão de viver no certo ou errado. Nossa ética é conforme o evangelho e o Evangelho é Jesus, basta ver como ele tratou os pecadores, como ele tratou os fariseus, como enxergava a vida".

Fantástico! Aceito e concordo plenamente com esta premissa! Vejamos o modo como Jesus "enxergava a vida":

"Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos [da Lei e os profetas], por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus. Pois eu vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus" (Mt: 5.17-20)

Siga este exemplo!

2) "Hoje, se Jesus estivesse no nosso meio, os Reformados e etc... o julgaria de IMORAL, pelo fato de..."

E ae você começa a citar várias leis com princípios meramente cerimoniais. Até que você chega ao absurdo de dizer que "moral é julgar os outros". ONDE, EM TODA A ESCRITURA, EXISTE ISSO? Os fariseus e escribas não erma moralistas, mas sim, legalistas! Inventavam normas extra-bíblicas para disfarçar sua hipocrisia religiosa! Ah, e só para te ensinar, o SALMO 1 não incentiva à imoralidade cristã, mas a ter prazer na Lei do SENHOR, coisa que você precisa resgatar urgentemente! Jesus não se assentou com os pecadores para "tomar umazinha", mas para evangelizá-los! (Lc: 15.1)

Siga (também) este exemplo!
http://4.bp.blogspot.com/_RmO1qVuj3hE/TUgYRmVn98I/AAAAAAAAAAk/Aya6ns4soTU/s45/escravo%25252Bdo%25252Bc%252525C3%252525A9u.jpg
Graça e paz do SENHOR aos irmãos do blog...

Para o "JESUS o CAMINHO":

1) "não é questão de viver no certo ou errado. Nossa ética é conforme o evangelho e o Evangelho é Jesus, basta ver como ele tratou os pecadores, como ele tratou os fariseus, como enxergava a vida".

Fantástico! Aceito e concordo plenamente com esta premissa! Vejamos o modo como Jesus "enxergava a vida":

"Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos [da Lei e os profetas], por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus. Pois eu vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus" (Mt: 5.17-20)

Siga este exemplo!

2) "Hoje, se Jesus estivesse no nosso meio, os Reformados e etc... o julgaria de IMORAL, pelo fato de..."

E ae você começa a citar várias leis com princípios meramente cerimoniais. Até que você chega ao absurdo de dizer que "moral é julgar os outros". ONDE, EM TODA A ESCRITURA, EXISTE ISSO? Os fariseus e escribas não erma moralistas, mas sim, legalistas! Inventavam normas extra-bíblicas para disfarçar sua hipocrisia religiosa! Ah, e só para te ensinar, o SALMO 1 não incentiva à imoralidade cristã, mas a ter prazer na Lei do SENHOR, coisa que você precisa resgatar urgentemente! Jesus não se assentou com os pecadores para "tomar umazinha", mas para evangelizá-los! (Lc: 15.1)

Siga (também) este exemplo!
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Ao "Sintonia de Vida":

1) "leia a Espístola INTEIRA aos hebreus e voce perceberá que alí Jesus"

Interessante: Eu já li toda a epístola e em nenhum momento a carta coloca Cristo como o fim da Lei moral Divina. Entretanto, a carta fala sim, do fim CERIMONIAL da Lei Mosaica:

"Ora, também o primeiro pacto tinha ordenanças de serviço sagrado, e um santuário terrestre. [...] Porque a lei, tendo a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, não pode nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem de ano em ano, aperfeiçoar os que se chegam a Deus" (Hebreus 9:1 / 10:1)

A carta (e a Bíblia toda) não disseram nem uma vez que os mandamentos e preceitos para o comportamento humano deixaram de ser aplicáveis a nós hoje! Mas, como foi mostrado, as "ordenanças do serviço sagrado" eram "sombra dos bens vindouros". Mostre me um texto (apenas UM!) em que os preceitos morais de Deus foram revogados ou abolidos pelo sacrifício de Cristo!

2) "O engraçado é que as minhas perguntas ninguem dos "apologetas reformados" responderam"

Que perguntas? Ah, devem ser aquelas que você não me respondeu BIBLICAMENTE até agora (já que simplesmente dizer que JESUS é isso ou aquilo e soltar um "vai ler na Bíblia" é muito medíocre!). Nem textos, nem referências... NADA! Que Bíblia estás usando? A minha, diz que "fé sem obras é morta" (Tg: 2.17) e também que a fé salvadora é manifestada por obediência aos mandamentos de Deus (Hebreus 3:18-19 - "incredulidade e desobediência" são postas no mesmo patamar).
http://img2.blogblog.com/img/b16-rounded.gif
Rafael Lima disse...
Bem, "MINISTÉRIO APOLOGÉTICO BÍBLICO"...
Esse debate, estou vendo que não está levando a nada, pois ninguém se entende. Você não me entendeu, ou não expliquei corretamente. Não preciso resgatar esse prazer na LEI, meu prazer é viver em gratidão, olhando para o VERBO, e sabendo que aquele que está na LEI do Espirito da Vida, já não está sujeito a LEI, pois vive em Amor, e esse, produz os frutos. Esse é o espirito de Galatas 5.
O grande problema na discussão é a palavra MORAL, que sestá sendo entendida de forma diferente.
Agora analise o contexto, assim como Jesus falou aqui que "não entrarão no reino de Deus..." em Mateus 25 ele coloca a sua esquerda os que AMAVAM etc.. assunto longo.
Não vejo como seguir um padrão moral pelos exemplos no antigo testamento, o que mais vejo é imoralidade, em relação aos nossos dias. O fim da Lei é Cristo, Paulo enxergou isso.
Bom, não sei se tu me entendeu, mas pelo blog é complicado ficar debatendo esse tipo de coisa..hehehe
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Para os reformados Deus não falava ANTES de Gutenberg! Ou melhor Deus era MUDO Antes de existir a escrita (sic). No letrismo deles O Evangelho são só os quatro Evangelhos. É muita miopia reformada e deformada! Convem vcs irem no Aurélio pra descobrirem o que é Moral!

Aposto que não fazem idéia do seja fator Melquisedeque
 

O texto inicial do Marcelo "conformado" sobre uma defesa "moral" tendo como base personagens do Antigo testamento é muito ingênuo e infantil!

Essa verdade é imutável (pelo menso enquanto estiver nesse blog!)
http://img1.blogblog.com/img/blank.gif
Marcelo Lemos disse...
SINTONIA DE VIDA;

“O texto inicial do Marcelo "conformado" sobre uma defesa "moral" tendo como base personagens do Antigo testamento é muito ingênuo e infantil!”

Rapaz, além de tudo que já demonstrei aqui sobre tuas falsas acusações, faltou apontar uma: a tua falta de vergonha na cara, risos!

Já disse várias vezes que meu texto NUNCA FEZ TAL COISA de colocar os personagens do AT como “base” para a moral, mas justamente o contrário! Eu não creio que você seja analfabeto, mesmo que funcional, então, resta-me a outra opção: falta de vergonha mesmo.

Meu texto diz justamente isso: que os cristãos não são o padrão moral, mas a Lei de Deus é. Assim, a Bíblia relata os deslizes morais dos homens de Deus do Antigo Testamento, sem que isso depoanha contra sua própria autoridade moral (da Lei de Deus); além disso, a Bíblia chama tais pecadores de “justos”, pois a justificação tem haver com Graça, e não com obras.

O resto, é acusação de um covarde, radiofonico, que não tem sequer a ombridade de demonstrar a acusação.

Quanto a outra sem-vergonhice, de dizer que os reformados rejeitam a Cristo, vale lembrar apenas o seguinte, SEUS HIPOCRITAS: quem trouxe os reformados para este debate FORAM VOCÊS, e não eu, ou outro reformado. Seus hipocritas!

Aconteceu apenas o seguinte: enquango eu argumentava COM A BÍBLIA, você CITAM OS NOMES DOS REFORMADORES para desmerecer os meus argumentos. Evidentemente, PENSAVAM que eu estava contradizendo eles. Ou seja, a ideia de vocês era me desmerecer diante dos grandes nomes da Reforma – no caso, VOCÊS CITARAM Calvino e Lutero!

Porém, a casa caiu quando eu PROVEI QUE OS REFORMADORES ENSINAVAM A MESMA COISA QUE EU.

E aí o argumento mudou, desavergonhadamente: agora, meu pecado é ser fiel ao pensamento deles. Agora, vocês me pintam como SE EU TIVESSE BASEADO MEU ARGUMENTO NELES, e até me acusaram de “plágio”.
 

Mentirosos, sem-vengonhas, irracionais, infantís, HIPOCRITAS. E não adiante chorar feito uma donzela ofendida, meu caro radiofonico, o fato é este: quem trouxe os reformadores para este debate FOI VOCÊ, seu hipocrita de marca maior! Mas, como a casa caiu, o jeito é “dar um jeito” de fugir pela tangente, e não ficar com cara de bobo e idiota. Simples assim.

Marcelo Lemos
www.olharreformado.com
http://3.bp.blogspot.com/-0JAh6dK5C8c/Ti3-gjVZvfI/AAAAAAAAAC4/Z-x0Ih3lPXo/s45/186079_680517016_2637817_n.jpg
Ideberto Bonani disse...
Na Nova Aliança não existe "Lei de Deus". Deus não é regido por qualquer tipo de Lei! Deus é Autoridade Soberana que "estabelece a Lei", que para "Israel" era configurada na Antiga prescrição Mosaica como: norma de conduta,preceito emanado "Dele", autoridade soberana. Configura-se também em:obrigação; regra; norma,etc. Na Antiga Aliança todas as prescrições de Deus, quer sejam morais, éticas, cerimoniais, judiciais,etc.; estavam configuradas na forma da Lei e dos Profetas.Entretanto em Cristo, tais regras tornam-se "princípios de vida",até porque recebemos a vida(zoe) de Deus. João 1:12. Ora, se recebemos a natureza divina(João 3.16, não é mais nenhuma Lei que rege a vida,pois Deus não precisa de Lei,Ele é "Emanação da Lei" Recebendo a vida divina(João 3:16) como filho, não vivo mais eu,é Cristo que vive em mim. Onde se estabelece o princípio emanado, cessou a "sistematização de regras!". Vivo agora pelo "princípio de vida em amor" e não por obrigatoriedades. Não é isso que nos ensina Paulo? "Portanto, se já "ressuscitastes" com Cristo, "buscai as coisas que são de cima", onde Cristo está assentado à destra de Deus.
"Pensai nas coisas que são de cima", e não nas que são da terra;
Porque "já estais mortos", e "a vossa vida" está escondida "com Cristo em Deus".
"Quando Cristo", que é "a nossa vida", se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória.
"Mortificai, pois, os vossos membros", que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria;
Pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência;
Nas quais, também, em outro tempo "andastes, quando vivíeis nelas." Colossenses 1:7.
Nova Aliança é questão de vida não de sistema de regras!
BONANI
http://img2.blogblog.com/img/b16-rounded.gif
"os fariseus e escribas não erma moralistas, mas sim, legalistas! Inventavam normas extra-bíblicas para disfarçar sua hipocrisia religiosa!"

Caro MINISTÉRIO APOLOGÉTICO BÍBLICO, que biblia é essa que existia antes de constantino?

O “reino” está dividido. Por isso que ele está devastado pelas mentiras e falcatruas do lado negativo (a religião). Quero te convidar a dar crédito à parte vencedora do “reino dividido” (a Graça de Deus); mas, para isso, você tem que derrubar seus padrões e conceitos antigos, se achegando com sincero coração, buscando entender o mistério que estava oculto e que agora está sendo revelado aos santos de Deus (Colossenses 1:26).

Manos Sintonia de Vida e Fernando Napoli Bonani, estou no mesmo "lado" do reino que voces.

Sintonia, vc perguntou:
"Aposto que não fazem idéia do que seja fator Melquisedeque?"

E eu lhe respondo com outra pergunta: Voce acha que o cristianismo iria ensinar sobre o fator Melquisedeque aos seus fantoches?

Chega a ser até comico, o que esses caras pregam, para não dizer escandaloso. Quando quero me divertir um pouco eu assisto a boas novas, ao silas malafaia, valdomiro, dou muitas gargalhadas. Não falam nada que não leve a mamom.
Eu sei que os adultos na fé entenderam-me muito bem.
Forte abraço a todos e permaneçam na paz, sempre.
http://img2.blogblog.com/img/b16-rounded.gif
Marcelo Lemos
Seu nome deveria ser outro, porque, mesmo que fosses, um ser "triuno" (no plural), não poderia assim se chamar, ou seja, "Lemos". Porque acabei de perceber que seu problema, não é, somente, não saber interpretar. O que não sabes mesmo é "Ler". Eu lhe pergunto: "Lemos o que?". Então, Marcelo "Façamos", realizemos, uma correta interpretação! Vou seguir na sequencia em, em, "slow mochan", para você entender! O que esta em discussão, não é o Cristo, revelado através das Escrituras, isto é fator "sine qua non". O que esta em discussão é o fato de "alguém" como(o senhor), tentar fazer uma exegese Bíblica, retirando o Cristo do Centro. Realmente, eu estou dizendo que você tira o Cristo como Centro Interpretativo, em especial, no seu "péssimo" texto acima! Se o Senhor coloca Cristo como Centro, saberá também, que Deus colocou uma árvore no Centro do Jardim no Éden(Gen 2:9),e que; os mais aprofundados interpretes das Escrituras, concordam que a mesma, tipifica o Cristo. Hoje, é esta mesma árvore, que se manifesta a nós é a Videira Verdadeira(Jo 15:1), ou "Árvore da Vida". Se, até mesmo, o próprio Deus, colocou o Cristo como o "Centro', como um tal "Lemos" que pela arrogância, parece querer ser o "Façamos", não vai entender esta realidade? Assim como Deus plantou a Arvore da Vida no Centro do jardim, creio que plantou Cristo no seu interior, ("espirito") Ele, o Cristo, que é o Verbo(Palavra, mana, alimento), habita, como sendo, a Árvore da Vida. Você concorda nisto? qual é o principio que rege esta Videira? Você, escorregou e não me respondeu. Qual "Lei", (se existir), rege o desfrute de uma Videira? Quem sabe, depois que estiver apto para me responder esta pergunta, retomamos a discussão. Estou disposto a lhe ensinar a não somente interpretar a Bíblia, mas muito além disto ter Luz, a respeito da mesma. Quando avançar além das letras, e absorver a palavra como mana, alimento, penso que esta a caminho do aprendizado. Sal 119:105 Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho. Precisas, com certa urgência, ligar-se a Videira Verdadeira. O texto que você, escreveu a cima esta ligado a tudo, menos a Videira Verdadeira. Estou esperando, resposta integral. Daí, partimos para uma discussão semântica, apoiado nos mais antigos manuscritos. Porque como deves saber bem, nem os originais temos mais! Vamos começar de Genesis, ok? A árvore da vida como alimento ....rsrsrs
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
BONANI;

Vamos fingir que o senhor não está se esquivando de todas as questões, inclusive de sustentar as FALSAS ACUSAÇÕES que me imputou... Segundo você, na Nova Aliança não existem regras, não existem mandamentos. Pois bem, isso você tirou da tua cabeça, ou do próprio Novo Testamento?

Eu, claro, faço minha opção por aquilo que o Novo Testamento ensina, independentemente da tua opinião “intelectual” e cheia de frase de efeito (apesar do senhor mesmo menosprezar tais construções, risos). Veja, querido:
ão

“Qualquer pois que violar um destes menores MANDAMENTOS...” (S. Mateus 5.19).

“Se queres, porém, entrar na vida, GUARDA OS MANDAMENTOS!” (S. Mateus 19.17)

“Se me amardes, guardareis OS MEUS MANDAMENTOS” (S. João 14.15)

“Aquele que tem os MEUS MANDAMENTOS e os guarda, este é o que me ama...” (S. João 14.21)

“Se guardares os MEUS MANDAMENTOS, permanecereis no meu amor...” (S. João 15.10).

“A circuncisão é nada, e a incircuncisão nada é, mas, sim, a observância DOS MANDAMENTOS DE DEUS” (I Coríntios 7.19)

“E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos OS SEUS MANDAMENTOS” ( I João 2.3)

“Aquele que diz: Eu conheço-o e não guarda os SEUS MANDAMENTOS é mentiroso, e nele não está a verdade” (I João 2.4)

“... porque guardamos OS SEUS MANDAMENTOS e fazemos o que é agradável à sua vista” (I joão 3.22)

“E aquele que guarda OS SEUS MANDAMENTOS nele está, e ele nele” (I João 3.24)

“Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus: quando amamos a Deus e guardamos OS SEUS MANDAMENTOS” (I João 5.2)

“Porque este é o amor de Deus: QUE GUARDEMOS OS SEUS MANDAMENTOS” ( I João 5.3)

“E ISTO É O AMOR: QUE ANDANDEMOS SEGUNDO OS SEUS MANDAMENTOS” (II João 1.6)

“E o dragão irou-se contra mulher e foi fazer guerra ao resto da sua semente: os que GUARDAM OS MANDAMENTOS DE DEUS e têm o testemunho de Jesus Cristo” (Apocalipse 12.17)

“Aqui está a paciência dos santos; aqui estão OS QUE GUARDAM OS MANDAMENTOS DE DEUS e a fé em Jesus” (Apocalipse 14.12)

Vede, por tanto, caro Bonani, que este “evangelho” em Lei, este “evangelho” sem mandamento, é invenção da tua cabeça, e não o ensino do Novo Testamento.
http://4.bp.blogspot.com/_LGyi4xWSaHY/TLm43zjFkpI/AAAAAAAAAEg/OR0cMPrB-FQ/S45/marcelocaricami.jpg
Marcelo Lemos disse...
NAPOLI;

Blá, blá, blá, blá... Mais um pouco da mesma acusação já refutada; ou seja, de que eu teria colocados os personagens do Antigo Testamento como base de alguma coisa, o que nunca fiz.
 

No meu texto, aliás, caso o senhor tenha lido, está bem explicado que é justamente porque a salvação é por graça, que pecadores como Noé, VOCÊ E EU, podem ser chamados de Justos. No meu texto há uma clara defensa da justificação pela fé, e isso é o centro do Evangelho: Deus justifica o ímpio. Este é o Evangelho. Mas, o fato de que Deus justifica o ímpio, não implica que ele reabaixe seu padrão moral, ou que a Bíblia deixe de ser o padrão moral que rege o homem, mas justamente o oposto: é justamente por não sermos capazes de cumprir perfeitamente o padrão de Deus, pois sempre erramos o alvo (pecado), que nossa única esperança é a justificação pela fé. Exatamente como coloquei no meu artigo (o que você não leu, e se leu, deturpou apenas para não dar o braço a torcer).

E, como você, falsamente (c0mo de costume), insunua que eu sou um legalista (sic) desligadao da Videira, implicando que você, ao contrário, está a ela ligado; resta saber como é possível que um mero galho possa desprezar a Lei de Deus, e afirmar que a Bíblia NÃO É PADRÃO DE MORALIDADE, quando a própria Videira afirmou o contrário. Trata-se, certamente, de um “ramo REBELADO”, hein?
 

Marcelo Lemos
www.olharreformado.com
http://img2.blogblog.com/img/b16-rounded.gif
Sr. "Lemos, quero somente dizer, que comigo o assunto começa por aqui, no "Centro". 
Ef 1: 9 a 12 Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo, 10 De tornar a "convergir" em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra;11 Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade;
12 Com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós os que primeiro esperamos em Cristo. Vamos "convergir" nossa conversa no "Cristo", alias, a Bíblia diz que Nele, devem convergir "todas as coisas". Isto inclui, até a própria Bíblia, confissões Anglicanas, Teologia Sistemática, Justificação pela fé, Reformados, Contra-reformados, os deformados, os limbos, leis, morais, os "Lemos", e, até; os "linfócitos" que se encontram .... no avesso do avesso do avesso de Caetano Veloso!!! Como dizem os caboclos aqui no interior, "vamo depena a galinha", porque o "Lemos" tá ficando com a situação mais "amassada" que marmita de peão! rsrsrs. Você enrolou novamente, mas, já arriscou citar a Videira Verdeira, um progresso. Então se você esta ligado a mesma (Videira), somente me responda, esta pergunta: Qual é o principio que rege uma Videira, princípios morais, cerimoniais, anglicanos, me responda, criatura? rsrsr Tenhamos humildade de convergir em Cristo, até mesmo seu "péssimo texto"! Qual o problema? Eu não desprezo a Lei de Deus, porque vivo através de um principio mais elevado, para onde todas as coisas devam convergir, ou seja, naquele que aboliu até mesmo a Lei! Se quiser um debate por este caminho, vamos lá, que foi dado a largada! “ o qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança , não da letra (ou seja "lei", to gramma), mas do espírito (to pneuma); porque a(Lei)letra mata , mas o espírito vivifica” 2 Co 3.6.

BONANI

Comentários

  1. É incrivel o quanto a influência de Caio Fabio pode ser vista naqueles que debateram contra o Marcelo. Uma das diferenças é que o próprio Caio Fabio não tenha sido citado oficialmente, mas o que fica prefigurado é que assim como o Marcelo defende a teologia reformada, outros defenderam a teologia de Caio Fabio.

    Percebo isso pelas seguidas vezes que o termo Caminho foi empregado composto com outros termos que são bastante difundidos no Caminho da Graça. E ainda pela forma como Cristo quase foi citado como Chave Hermeneutica para interpretação das escrituras.

    Em síntese acredito que o Cristão não deve ter uma moralidade diferente da moralidade vivida por Cristo, e os Reformadores demonstraram isso com o uso de termos diferentes e em um contexto teológico muito mais denso do que é visto nos dias de hoje.

    Mas se voltarmos para o texto primeiro do Marcelo, veremos que ele diz que o homem por si só é incapaz de demonstrar integridade, posto que está morto em pecados, isso inclui todos os heróis da fé e que somente por Cristo podemos ter justificação.

    O que veio depois nos comentários foi indo de mal a pior...

    Em Cristo.

    ResponderExcluir
  2. Amado(a); Graça e Paz!
    Fico feliz pela lucidez de suas palavras e entendo perfeitamente a sua posição nas questões de fé evangélica do Marcelo.Conheço sim o Caio, entretanto, é necessário entender que muito antes do Caio expressar a questão em causa, já tinha plantado em meu espírito essas convicções as quais de forma simples esbocei.Confesso, só arranhei a superfície da questão, sem ficar debatendo e confrontando "textos x textos".Esse recurso retórico em vez de aprofundar, afina, dilui mais ainda o tema,levando-o a uma compreensão confusa em vez de tornar-lo compreensivelmente simples à luz da Nova Aliança!
    O irmão(ã) há de convir que o Marcelo foi o 1º a tratar com certa aspereza a não concordância de minha parte acerca do assunto que ele propôs publicar. Tudo que uma vez se torna público deve minimamente gerar por parte de quem o fez, expectativas de ser avaliado,analisado, refletido e posteriormente passar pelo resultado final, ou seja; há concordância ou não? Ou em parte ou no todo? É assim que se faz um debate saudável. infelizmente o Marcelo denominou-me antinomista, o que não sou; se bem que isso não altera em nada a química e a essência da minha fé em Cristo Jesus!É claro meu irmão que no debate, joguei com algumas insinuações sobre Lutero, Calvino; Teologia Reformada, Spurgeon, etc. Insinuei para estimular se o coração do Marcelo entenderia e conseguiria "dar volta ao texto", entretanto da insinuação ele fez do meu comentário afirmação. Exemplo gritante foi o caso do Spurgeon, que segundo ele,afirmei ser antinomista. Isso para não citar outras afirmações! Qualquer pessoa que ler tudo o que escrevi perceberá isso!
    Querido(a); muito antes do Caio sair a público com suas declarações sobre Jesus como "chave", ou "filtro", ou "catalisador", ou "processador hermenêutico das Escrituras, ou ainda qualquer outra nomenclatura; meu espírito já nadava no rio da Graça desfrutando e bebendo essas verdades!
    É só;
    Graça e Paz!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Escreva aqui seu comentário e enriqueça ainda mais o Blog com sua participação!

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

RELIGIÕES DO LIVRO E A INCOERÊNCIA DA LITERALIDADE!"