SOBRE LIVROS, HISTÓRIAS, FOTOS, FILMES E AS CAMUFLAGENS QUE CADA FAMÍLIA REVELA!

Tempos atras, passando o dedo por alguns livros da minha “vastíssima” biblioteca, composta por algumas “vastíssimas” dezenas de livros, (rs,…rs,…rs,…rs); …separei um livro de um mundialmente conhecido ministro evangélico. "O tema era família!"


Observei aquela linda foto da capa. Montada em estúdio.Composta de marido, esposa, filhos.  Aquele tradicional esboço sorridente de "dentes estadunidenses branquinhos como as teclinhas de um piano" ,de uma feliz família cristã,  tendo no alto da capa, a epigrafe temática em letras garrafais: A FAMÍLIA CRISTÃ PERFEITA!
Acontece que o tal autor, do tal dito livro, passou por uma terrível crise conjugal que acabou em desintegração daquela angelical família; isso, segundo ele mesmo, já se arrastava por anos, mesmo antes de escrever sobre o tema, sendo que tal crise  ia  sendo  “camuflada” e angustiantemente “maquiada” em nome da família cristã e da “esmagadora reputação” que caía sobre ele por ser o ícone exemplar de todas as famílias evangélicas do mundo!


Pergunto:


-E se Eli, o sacerdote escrevesse um livro sobre família? O que ele poderia nos ensinar?


-E se Samuel o profeta, sacerdote e juiz escrevesse um livro sobre família? Seria tal homem de Deus o padrão de um chefe de família exemplar?


-E se Davi, o homem segundo o coração de Deus escrevesse um livro sobre família? O tema seria:  "Uma família segundo o coração de Deus?"


-E se mesmo Jesus, escrevesse um livro sobre família? O que ele poderia revelar sobre sua família no espaço  de  alguns bons anos os quais não há relatos históricos sobre sua pessoa?


Há pessoas que tratam o tema família cristã como assunto alienígena.


Vou-lhes confessar uma coisa:


-  Livros, capas, fotos, reputação e outras configurações em nome da família cristã, por muitas vezes, escondem a realidade, os conflitos, crises inevitáveis e incontornáveis de situações que fogem ao controle e  de muitas outras circunstâncias que a norteiam!
Observo   pessoas, principalmente àquelas que em nome de um ministério, tentam mirabolantemente demonstrar uma  verdade, a qual, na realidade é uma verdadeira ilusão!  Observo  “olhares” de esposas, maridos, filhos  falando muito mais do que as muitas palavras.


Outro  dia contemplava uma linda foto de um pastor com sua família. Será que era aminha mesma? …(Fica a questão no ar sem resposta! rs,rs,rs,…). Para além daquela boa    montagem   que   procurava dar um “ar” perfeito da família cristã, os olhares da esposa, dos filhinhos, e do próprio "maridão", viajavam muito “além”  da tentativa da perfeição estereotipada para o momento e contexto, ou, “tentava” se incorporara na “tentativa” de se “tentar” ser exemplo por "tentativa"!
Nunca escrevi um livro, e muita gente já me pediu para escrever, e se pudesse escrever, nunca começaria pelo tema família. Não porque  acredito que a família  não seja importante como abordagem séria de um projecto de Deus, mas temo que tal escrito vire “bitola, craveira, padrão, estalão pontual”, "moda do momento",  daquilo que não consigo viver em  perfeição e que deve ser tratado como processo e não um fim  em si mesmo!


Família não é a “estática estratificada da perfeição” como se todos fossem uns “clonezinhos” que nascem com um chip que  "pré-determina" a seguir todos os passinhos do ...Paaaaiiii Abraaaaããão tem muitos filhoooos..., visto que nele,  no Pai Abraão, seriam benditas todas as famílias da terra, se bem que qualquer leitor com o mínimo de lucides perceberá; ...Abraão, sua família e seus descendentes, de longe, não podem  ser o padrão da família ideal!
Entendo que família é dinâmica processual que vai se “salinando” num processo interminável e diário! Não  a “ESCRITA”, nem é “escrita” por dez pontinhos, dos dez livrinhos, dos dez “casadinhos para sempre”, dos dez principiosinhos, dos dez   uma família cristã feliz, pois até conheço muitas famílias não cristãs muito mais felizes nesse quesito!


Tenho aprendido que minha função é entender que cada caso é um caso e cada família é uma família que que cada história é uma história e que cada proposição   para   uma vida familiar é uma proposição que deve ser encarada com um “dom único” inegociável e intransferível, a qual não deve candidatar-se simplesmente e baratamente   a  uma linda foto modelo família cristã perfeita apenas para tentar passar uma imagem que muitas vezes não reflete a verdade. Antes: ...Deve procurar ser a verdadeira imagem que deve carregar em si, como  santa missão exclusiva e única, “ser um dom de Deus”, processado na Graça e por ela fotografada, radiografada e filmada, para que, através de um processo contínuo, fique  sempre desnudada diante da “objetiva”  divina da Graça  e sendo assim, encontre na Graça de Cristo o antídoto  contra a camuflagem, pois, até mesmo famílias que aparentam a mais intocável perfeição, são concebidas na dimensão caída da família adâmica, as quais, sem tal Graça, por mais graça que tentem transmitir, não terão graça nenhuma!
Escrito para toda família que nunca será a fotografia da perfeição, mas que na Graça, poderá se tornar um filme longa metragem  que por mais adversidades e crises que fazem parte do enredo, são potencialmente candidatas à um final feliz e mesmo ante as mais terríveis consequencias impostas pela queda, possam na Graça encontar pavimento seguro de consolidação! "Onde abunda o pecado, superabunda a graça" (Rm 5, 20).

BONANI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

RELIGIÕES DO LIVRO E A INCOERÊNCIA DA LITERALIDADE!"