"O BURRO TEÓLOGO E O PROFETA TE-LÓGRO"

 Então Balaão levantou-se pela manhã, e albardou a sua jumenta, e foi com os príncipes de Moabe.E a ira de Deus acendeu-se, porque ele se ia; e o anjo do SENHOR pôs-se-lhe no caminho por adversário; e ele ia caminhando, montado na sua jumenta, e dois de seus servos com ele.Viu, pois, a jumenta o anjo do SENHOR, que estava no caminho, com a sua espada desembainhada na mão; pelo que desviou-se a jumenta do caminho, indo pelo campo; então Balaão espancou a jumenta para fazê-la tornar ao caminho.Mas o anjo do SENHOR pôs-se numa vereda entre as vinhas, havendo uma parede de um e de outro lado.Vendo, pois, a jumenta, o anjo do SENHOR, encostou-se contra a parede, e apertou contra a parede o pé de Balaão; por isso tornou a espancá-la.Então o anjo do SENHOR passou mais adiante, e pôs-se num lugar estreito, onde não havia caminho para se desviar nem para a direita nem para a esquerda.E, vendo a jumenta o anjo do SENHOR, deitou-se debaixo de Balaão; e a ira de Balaão acendeu-se, e espancou a jumenta com o bordão.Então o SENHOR abriu a boca da jumenta, a qual disse a Balaão: Que te fiz eu, que me espancaste estas três vezes?E Balaão disse à jumenta: Por que zombaste de mim; quem dera tivesse eu uma espada na mão, porque agora te mataria.E a jumenta disse a Balaão: Porventura não sou a tua jumenta, em que cavalgaste desde o tempo em que me tornei tua até hoje? Acaso tem sido o meu costume fazer assim contigo? E ele respondeu: Não.Então o SENHOR abriu os olhos a Balaão, e ele viu o anjo do SENHOR, que estava no caminho e a sua espada desembainhada na mão; pelo que inclinou a cabeça, e prostrou-se sobre a sua face.Então o anjo do SENHOR lhe disse: Por que já três vezes espancaste a tua jumenta? Eis que eu saí para ser teu adversário, porquanto o teu caminho é perverso diante de mim:Porém a jumenta me viu, e já três vezes se desviou de diante de mim; se ela não se desviasse de diante de mim, na verdade que eu agora te haveria matado, e a ela deixaria com vida.  Números 22:21-33

O contexto da história incrível  descrita no texto supracitado desenrola-se com o seguinte enredo: O rei dos moabitas, Balaque, ficou muito apreensivo com as vitórias dos israelitas e com o seu grande número, e,angustiado porque representavam um perigo para o seu próprio povo,não podia entrar em guerra contra eles porque eram mais poderosos. Procurou então uma solução "espiritual": contratar os serviços de um profeta famoso chamado Balaão, que morava na distante Caldéia, para amaldiçoar os israelitas, e assim, preparar para Balaque uma poderosa vitória. Deus frustrou esse plano!
Entretanto fica-nos nesse episódio um grande ensino:
Balaão é o profeta venal típico, mercadejando com o seu dom. Este é o "caminho de Balaão" (2 Pedro 2:15), que caracteriza os falsos ensinadores. O "erro de Balaão" (Judas 11) foi que ele não compreendia que o povo de Israel havia sido redimido pelo SENHOR, mas via apenas um povo como outro qualquer; os falsos ensinadores também erram quando não levam em conta que Deus é justo e justificador dos que crêem em Cristo (Romanos 3:26). A "doutrina de Balaão" (Apocalipse 2:14) trata do seu conselho a Balaque para que corrompesse o povo, que ele não podia amaldiçoar (Números 31:16, 25:1-3; Tiago 4:4)

Considerando os fatos incríveis supra, lembrei-me de outro fato que se desenrolou anos atrás em uma cidadezinha do interior de São Paulo. Um cidadão argentino que sei lá de onde,  apareceu  visitando as comunidades cristãs da pequena localidade. Vociferava  com veêmencia : “Yo soy un "telógro" y mi nombre es José!” 
Na verdade , tentando comunicar-se  em  portugués, o que ele quería mesmo, era  dizer   : “Eu sou o irmão José e eu sou teólogo!” A verdade, é que o tal do argentino José era  um tremendo picareta que de teólogo não tinha nada. Deu  tremendos golpes  financeiros em muitos humildes irmãozinhos  que quase ficaram sem as calças tal foi a limpeza que o “safardana” deu  no povo! Pelo menos em uma coisa ele tinha razão, ele era um “te-lógro” mesmo! “Logrou” todo mundo!!!
Saindo da esferas das imagens mentais e fazendo uma relação entre as duas histórias; Na primeira: um “burro” recebe uma aula de “teologia prática” com direito a “epifania” e tudo ,ao ponto de obedecer em todos os momentos nos quais aparece o “Anjo do Senhor”, este que, por diversas vezes, representa a própria figura de Jesus no Antigo Testamento.Como se não bastasse, discerne a presença do “Maravilhoso Ser” por  três vêzes,e, em determinado momento, recebe o "dom de falar" e inicia  uma "fraterna conversa" de amigo para amigo com o profeta Balaão, seu dono. Na segunda: um picareta, dizendo-se teólogo, ou melhor; “te-logro”, que com astúcia, burla,
tira lucro, logra uns simples irmãozinhos de uma cidadezinha do interior e foge sem dar satisfações à ninguém!Fico então nessa relação de imagens mentais  a imaginar: o “Burro” e o “Balaão” e chego a seguinte conclusão: 

MELHOR É UM “BURRO TEÓLOGO” DO QUE UM “PROFETA TE-LÓGRO!”

Bonani

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

RELIGIÕES DO LIVRO E A INCOERÊNCIA DA LITERALIDADE!"