A FORÇA DE LOGOS (λόγος) NO NOVO TESTAMENTO



                A FORÇA DE LOGOS (λόγος) NO NOVO TESTAMENTO

01.    Nos primórdios gregos, usava-se para o vocábulo palavra, o termo ἔπος (épos), com significado de palavra, discurso, provérbio, oráculo, verso, poesia épica. Curiosamente essa palavra só aparece uma única vez no Novo Testamento, em Hebreus 7:9 (aqui, conveniente é lembrar que só o culto Paulo cita-la-ia pela forte influência que tinha de Aristósteles!). Texto grego: καὶ ὡς ἔπος εἰπεῖν, δι ᾽ Ἀβραὰμ/ kai hôs épos (uma/palavra) eipeîn di Abraam – e como por assim dizer (em uma palavra), por meio de Abraão...      

02.    Na natural evolução semântica das palavras, ou sejam, as mudanças ou alterações que as mesmas sofrem e também na cultura, ao longo dos anos ou séculos, novas palavras aparecem ou antigas são readaptadas. Assim é que, a palavra λόγος (logos) veio à tona na cultura grega, pois, inicialmente, estava associada à mitologia, ao “deus Hermes”, que era o intermediário entre os deuses, e um tipo de “comunicador de verdades”. Mas, foi Fílon, (de Alexandria, 13 a.C. – 54 d.C.) Filósofo e Teólogo Judeu da diáspora grega, que vendo os Judeus alexandrinos abandonando os princípios e as tradições da Torá, empenhou-se no propósito de estabelecer fundamentos e conexão entre a filosofia dominante e a fé hebraica. Assim é que, misturando temas de Platão e da Bíblia, influenciou o neoplatonismo e a literatura cristã, formulando a primeira doutrina sobre o λόγος (logos), como o intermediário entre Deus e o mundo, quando afirmou: “a sombra de Deus é o seu λόγος (logos); servindo-se dele como instrumento, Deus criou o mundo.”       

03.    No Novo Testamento, λόγος (logos) é o Verbo Eterno de Deus, Jesus, o Grande Mediador (μεσίτης/messítes – I Timóteo 2:5) e também claramente citado em João 1:1 - Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος (En arkê ên hó Lógos – No princípio era o verbo) e, em Apocalipse 19:13 - τὸ ὄνομα αὐτοῦ ὁ λόγος τοῦ θεοῦ (to onoma autú hó logos tu Théu – O Nome dEle é Palavra de Deus).

       Observação: Em Gênesis 1:1 - בְּרֵאשִׁית בָּרָא אֱלֹהִים אֵת הַשָּׁמַיִם וְאֵת הָאָרֶץ /Bereshit bará Eloim    ét ha-shamáim vê-ét há-árets (No princípio criou Deus os céus e a terra). Tem-se na primeira palavra bereshit (בְּרֵאשִׁית), seu desdobramento a partir de rósh (רֹאשׁ), que é cabeça; em seguida, a palavra reshit (רֵאשִׁית) que é começo, início (בְּ-bê=em,no). Pode-se afirmar literalmente, que em Cristo, que é a Cabeça, tudo começou, “pois nEle, e para Ele, e por Ele, são e foram criadas todas as coisas” (Colossenses 1:17-18 e Romanos 11:36).

Tudo originou-se pelo poder da palavra, que na verdade é o próprio Cristo. Palavra no hebraico é davar (דָבָר), sendo sua correspondente grega, a palavra λόγος (logos). דָבָר – davar, que tem a idéia de “aquilo que está por trás” (Deus!), mas também, tem um sentido de: objeto, coisa, matéria. Assim é que, como disse David H. Stern: “por isso o judeu messiânico Richard Wurmbrand sugeriu essa compreensão “midrashica”, da frase inicial desse versículo em Gênesis: “No princípio era a coisa real” (Bibliografia nº 26 e nº 40).         

04.    Logos (λόγος) é verbo (latim: verbum); é palavra também, na esfera humana, tendo estreita e forte ligação inerente ao homem como ser racional (zwon politikon - zoon politikon, dito por Aristóteles, e que Sêneca traduziu como animal social (“sociale animal”), inteligente e que fala). 

05.    A propósito, alguém disse: “Tudo na linguagem é, basicamente, psicológico.” É como se dissesse: o homem é, no seu todo, “psicolingüístico”, reproduzindo sua própria imagem, sua pessoa, por sua fala, sua fé, esperança, confiança, fracasso, derrota ou desânimo. Claramente, isso coincide com Provérbios 23:7: “Tal como imaginou na sua alma, assim o é.” Tem-se a compreensão do que já é conhecido e sempre recorrente: Há poder em nossas palavras!              

06.    Mas Jesus é a expressão plena e absoluta do λόγος eterno de Deus, a Palavra Eterna, viva e eficaz, e que moveu o Apóstolo João a declarar: “Os nossos olhos contemplaram, os nossos olhos viram, ouvimos e tocamos no Verbo da Vida” (I João 1:1b).

07.    Jesus, como λόγος αἰώνιος (logos aiônios – Verbo Eterno), fala e tem falado conforme Hebreus 1:1-2. No grego falar (ou eu falo) é λέγω (légo), cuja raiz é λεγ (lég), que está ligada ao polivalente substantivo λόγος. Jesus é a Palavra Suprema, e sutenta todas as coisas, pela palavra do Seu Poder (Hebreus 1:3).

08.    Daí, em relação a Jesus, é dito que falava e ensinava com autoridade (ἐξουσία/ekxoussía), Mateus 7:29. Ver ainda Hebreus 1:3. Sim as palavras de Jesus eram o reflexo do que Ele era, do seu caráter, da sua personalidade, a força do Grande Eu Sou (Ἐγώ εἰμι/Ego eimi), Êxodo 3:14 e João 8:58.

09.    O GRANDE EU SOU NA SEPTUAGITA GREGA:  Ἐγώ εἰμι ὁ ὤν – (אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה)

            Fonética: Ego eimi hô ón

            Tradução: Eu sou aquele que é (“Eu sou aquele que continua sendo!”)

             No Novo Testamento, localizei 20 (Ego Eimi - Ἐγώ εἰμι), EU SOU, que Jesus proferiu.

            Ele é o mesmo grande Eu Sou revelado em Êxodo 3:14 e em João 1:3-4.                         



Êxodo 3:14 - καὶ εἰ̂πεν ὁ θεὸς πρὸς Μωυση̂ν Ἐγώ εἰμι ὁ ὤν/ kai eipen hô Theós prós Moussen (e disse Deus para Moises: Eu sou o que sou). 

Hebraico: Êxodo 3:14 - אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה    (ehiê ashér ehiê – Eu Sou o que Sou)

וַיֹּאמֶר אֱלֹהִים אֶל־מֹשֶׁה אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה

Fonética: Vá-iomer Elohim el Môshé: ehiê ashér ehiê – E disse o Senhor a Moisés: Eu Sou o que Sou.    

10.    A seguir, o múltiplo uso da palavra λόγος: a) λέγω – lego (falar); b) λογιςμός – loghismós (pensamento, raciocínio); c) λογικός(*) – loghikós (lógico, espiritual, conveniente à razão, ao raciocínio); d) λογάριον logárion (palavrita, mau discurso); e) λογάω – logáo (ter ânsia de falar); f) λογεῖον – logheion (parte da cena onde os atores falavam;) g) λογεύς – logheús (orador); h) λογίδιον – loghídion (discurso ou conversa curta); i) λόγιονlóghion (oráculo, predição); j) λόγιος – lóghios (hábil no falar, eloqüente); k) λογιότης – loghiótês (eloqüência).    

                            

 (*) “Culto Racional” -  λογικός λατρεία (loghikós latréia), espiritual,o lógico, conveniente à razão (Romanos 12:1 – “... θυσίαν ζῶσαν ἁγίαν εὐάρεστον τῷ θεῷ, τὴν λογικὴν λατρείαν ὑμῶν·).  Aguinaldo Leite do Sacramento



BONANI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

RELIGIÕES DO LIVRO E A INCOERÊNCIA DA LITERALIDADE!"