...NÃO FALEIS MAL UNS DOS OUTROS!

 

            IRMÃOS,NÃO FALEIS MAL UNS DOS OUTROS

-- Portanto, abandonem tudo o que é mau, toda mentira, fingimento, inveja e críticas injustas. 1 Pedro 2:1
-- Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Tiago 4:11
-- O homem de mau, o homem vil, é o que anda com a perversidade na boca, acena com os olhos, arranha com os pés e faz sinais com os dedos. No seu coração há perversidade; todo o tempo maquina o mal; anda semeando contendas. Pelo que a sua destruição virá repentinamente; subitamente, será quebrantado, sem que haja cura. Provérbios 6:12-15

É curioso ver como a fofoca aparece: ela vem geralmente acompanhada de um sorrisinho malicioso, de uma sobrancelha estrategicamente levantada ou, quem sabe, de um tom de voz mais baixo anunciando um segredo. E quando emprestamos nossos ouvidos para escutar está formada a rede de fofoca. Daí pra frente bastará, muitas vezes, apenas uma cutucada, uma olhada de lado para as pessoas entenderem o que está querendo ser dito.
As fofocas são maldosas, frutos em geral do ciúme e da inveja, objetivando destruir alguém ou alguma instituição.

O QUE É FOFOCA?
Fofocar é falar mal de outras pessoas ou instituições com o intuito de destruí-las ou fazer com que os outros tenham um conceito negativo sobre elas.
E a calúnia é uma acusação falsa que difama e prejudica uma reputação.
Então a fofoca é a propagação dessa mentira.

Apesar da palavra fofoca não aparecer na Bíblia, o conceito está lá, bem presente, por termos bíblicos como “maledicência”, ”falar mal”, “mexerico”, “bisbilhotice”, “blasfêmia” e “falso testemunho”.
Não dirás falso testemunho… Mc. 10,19
Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo…Lv. 19,16
Porque do coração procedem maus desígnios…falso testemunho, blasfêmias.
Isso é o que contamina o homem Mt. 15,19
Despojando-vos, portanto, de toda maldade e dolo, de hipocrisias e invejas e toda sorte de maledicência. I Pe. 2,1
Longe de vós toda amargura e cólera, ira e gritaria, e blasfêmias, bem como toda malícia Ef. 4,31

O povo de Deus deve manter-se vigilante com relação a fofoca e permanecer distante dela por ser extremamente prejudicial e machucar e desunir as pessoas. Isso pode destruir uma igreja.
Como você tem prazer em ver os seu filhos em harmonia Deus também espera isso de nós, dentro e fora da igreja. Deus espera de nós unidade e harmonia.

Em todo local ou ocasião, mas especialmente na igreja é sempre mais fácil ficar de lado e atirar pedras naqueles que estão realizando alguma coisa, do que se envolver, se comprometer e contribuir.
Quanto a isso, Deus nos adverte repetidamente que não critiquemos ou julguemos uns aos outros (Rm. 14,13; Tg. 4,11; Ef. 4,29; Mt. 5,9; Tg. 5,9).
E nesse sentido, é conveniente mantermos sempre em mente que, quando criticamos uma outra pessoa, estamos na verdade interferindo seriamente nos assuntos de Deus:
Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai, mas estará firme, porque poderoso é o Senhor para o firmar. Rm. 14:4

Sempre que julgamos alguém, quatro coisas acontecem instantaneamente:
1. Perdemos a nossa comunhão com Deus;
2. Expomos o nosso próprio orgulho e insegurança;
3. Colocamo-nos em uma situação pela qual seremos julgados por Deus;
4. Prejudicamos a unidade com nossos irmãos.

Julgar, culpar e criticar os nossos irmãos em Cristo é trabalho que devemos a todo custo evitar, por ser de natureza diabólica. Quando fazemos isso estamos servindo aos propósitos do diabo. Veja como a Bíblia chama Satanás:
...acusador de nossos irmãos, o qual, diante de nosso Deus, acusa dia e noite Ap. 12:10

Fofocar é transmitir informações quando não somos nem parte do problema, nem parte da solução. Portanto, nós naturalmente sabemos que espalhar fofocas é algo tão errado quanto ouvi-las.
A fofoca e a crítica são fortes sinais da necessidade de auto-afirmação por parte daquele que as pratica.

De fato, quanto mais uma pessoa se aproxima de Jesus Cristo, menos ela julga os outros. E esse é um teste infalível, pois aqueles que estão sempre criticando os outros, já se afastaram de Cristo! Podem ainda pertencer-Lhe, mas certamente perderam o Seu espírito de amor.
É sinal de maturidade humana saber reconhecer que muitos dos nossos sentimentos profundos sobre as outras pessoas emanam de fatores nem sempre racionais, mas sim, são frutos de nossos próprios medos, traumas, perdas, frustrações, dores e deficiências.
Busque no Senhor ser uma pessoa que não usa os lábios para fofocar nem para diminuir os outros. Peça a Deus e Ele te dará forças.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

"A Igreja Fábrica de Gente e Suas Peças de Produção"

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)