BETESDA. O TANQUE QUE VIROU DIVÃ - (OBSTÁCULOS NA ALMA)


      
  
Depois disto, havia uma festa dos judeus e Jesus subiu a Jerusalém. Em Jerusalém, junto à Porta das Ovelhas, há uma piscina, em hebraico chamada Betesda. Tem cinco pórticos, e neles jaziam numerosos doentes, cegos, coxos e paralíticos.Estava ali um homem que padecia da sua doença há trinta e oito anos. Jesus, ao vê-lo prostrado e sabendo que já levava muito tempo assim, disse-lhe: «Queres ficar são?»Respondeu-lhe o doente: «Senhor, não tenho ninguém que me meta na piscina quando se agita a água, pois, enquanto eu vou, algum outro desce antes de mim». Disse-lhe Jesus: «Levanta-te, toma a tua enxerga e anda.» E, no mesmo instante, aquele homem ficou são, agarrou na enxerga e começou a andar. João cap. 5:1-9

O evento de Betesda não só revela a cura física de uma exânime vida que era vitimizada trinta e oito anos!
Betesda além de “tanque” torna-se “divã”, onde, Jesus, manifesta-se ao paralítico, iniciando o seu milagre com a introdução de uma pergunta, uma questão.Podemos dizer nos dias de hoje, que Jesus levantou “uma questão terapêutica de análise psicanalítica”  tendo aquele paralítico como paciente.  
Com tal interpelação, Jesus vai perscrutar, detectar e revelar as mais variadas mazelas escondidas na alma daquele homem. 
Creio que hoje "Ele" também deseja fazer uma análise em todos nós, que precisamos ser tratados profundamente com nossos “dilemas interiores” para sermos assim curados pela sua Graça!
O conceito de alma no Novo Testamento, que no grego é psy·khé [ψυκή], de onde vem o termo psicologia e sua variações e sua  relação essencial ao ser, é constituída de profundo significado. 
Sem querer me aprofundar muito, desejo apenas frisar:
 …“psyché” denota: “a respiração, o sopro da vida,” então “a alma,” em seus vários sentidos. O uso dessa palavra no NT pode ser analisado como segue-se: A vida natural do corpo, Mat 2:20; Luc 12:22; At 20:10; Ap 8:9; 12:11, cf. Lev 17:11; 2Sam 14:7; Est 8:11; o imaterial, a parte invisível do homem, Mat 10:28; At 2:27, cf. 1Reis 17:21; o homem desencarnado (ou “despido” ou “nu”, 2Co 5:3, 4), Ap 6:9; a sede da personalidade, Luc 9:24, explicado como = “si próprio”, Luc 9:25; Heb 6:19; cf. Heb 10:39; Isa 53: 10 com 1Ti 2:6;  a sede do elemento sensível no homem, aquilo pelo qual ele percebe, reflete, sente, deseja, Mat 11:29; Luc 1:46; 2:35; At 14:2, 22, cf. Sal 84:2; 139:14; Isa 26:9; a sede da vontade e propósito, Mat 22:37; At 4:32; Ef 6:6; Fil 1:27; Heb 12:3; cf. Num 21:4; Deut 11:13;  a sede do apetite, Ap 18:14, cf. Sal 107:9; Prov 6:30; Isa 5:14 (“desejo”); Isa 29:8; (h) pessoas, indivíduos, At 2:41, 43; Rom 2:9; Tg 5:20; 1Pe 3:20; 2Pe 2:14, cf. Gen 12:5; 14:21 (“pessoas”); Lev 4:2 (“qualquer um”).
Sendo assim, para nossa reflexão: ...Betesda como tanque propõem a cura do corpo!
...Betesda como “divã” propõem a cura da alma!
A cura da alma é um benefício extraordinário proposto pelo Evangelho de Jesus Cristo!
Como podemos detectar as doenças na alma e nos submetermos a cura terapêutica de Jesus?
Vamos descobrir com Jesus. "Ele" é o psicanalista por  excelência!

“ALMA CONDICIONADA POR HÁBITOS NEGATIVOS!”  
Estava ali um homem que padecia da sua doença há trinta e oito anos. Jesus, ao vê-lo prostrado e sabendo que já levava muito tempo assim, disse-lhe: «Queres ficar são?»Respondeu-lhe o doente: «Senhor, não tenho ninguém que me meta na piscina quando se agita a água, pois, enquanto eu vou, algum outro desce antes de mim». 
A pergunta de Jesus a princípio, parece ter um tom  cínico, irônico aos ouvidos daquele paralítico! O paralítico podia não movimentar seu corpo, mas tinha os ouvidos muito bem afinados e sua resposta a pergunta de Jesus revela as “circunstâncias de sua alma!"
Os  trinta e oito anos de enfermidade moldaram uma alma com hábitos negativos!
A alma que por muito tempo sofre um mal pode desenvolver "condicionamentos" que gerarão "hábitos" que pelo muito exercício se configurarão em "práticas" e sendo assim; os "resultados"  se tornam mais gravosos!
Ante a pergunta de Jesus vem a surpreendente resposta! Resposta com implicações de justificativas, pois,o tal homem doente, não respondeu nem sim, nem não, mas começou a descrever que o problema de seu permanente estado doentio e posterior impossibilidade de cura, era por causa daqueles que não  podiam, ou,não queriam, ou mesmo,ignoravam a sua situação!
Aquele enfermo revela hábitos arraigados por muitos anos em sua busca da cura. Ele respondeu mais ou menos assim: _...Não há quem me leve! Fico para trás! Essa é minha sina! Esse é o meu destino!
Ficou condicionado e sequestrado em sua alma. Ficou refém de pensamentos negativos  quer no âmbito de sua própria existência(interno) como no seu contexto social(externo), pois se auto-condicionara negativamente como excluído e rejeitado!
A alma condicionada por hábitos negativos vê-se todo  o   dia  como vítima da existência, culpando situações, pessoas e  em alguns casos até Deus pela suas mazelas!
“ALMA DEGRANDO-SE  NAS  COMPARAÇÕES DE VALORES!”
Jesus, ao vê-lo prostrado e sabendo que já levava muito tempo assim, disse-lhe: «Queres ficar são?»
Respondeu-lhe o doente: «Senhor, não tenho ninguém que me meta na piscina quando se agita a água, pois, enquanto eu vou, algum outro desce antes de mim». 
Nota-se claramente, pelas afirmações de sua própria condição, que sua alma era desfigurada nas comparações de valores.
Não estou com isso querendo dizer que devemos  negar a existência da enfermidade, ou da dor ou da tristeza ou de qualquer outra situação negativa que queira nos assaltar! Entretanto: ampliá-las, aumentá-las, super-valorizá-las, hiperbolizá-las; configura uma degradação de valores em comparação com a verdadeira situação pela qual estamos a experimentar!
Aquele  paralítico não era o primeiro, nem seria o último enfermo naquele dia, naquele estado, naquele tanque e naquelas condições. Como ele e com ele jaziam no tanque milhares de outros, todos os dias, e por que não dizer que alguns talvez em estado pior!
Quando começamos a aumentar drasticamente o nosso estado em relação aos outros e nos diminuimos na escala de valores e nas comparações em relação aqueles que julgamos ter mais sorte do que nós, estamos manifestando um evidente sinal que também a nossa alma está paralítica!
Observemos a resposta daquele paralítico: - …não há quem…; - …ninguém…; - …fico para trás...; - … não consigo ir para a frente…
Jesus quer também nos curar dos complexos de inferioridade; incapacidade; inabilidade; inaptidão; etc. Deixemos de “ampliar”  o  nosso problema, encarando-o como é , permitindo que nossa alma seja curada pela “verdadeira medida” da  “verdade que liberta!” – João 8:36
ALMA ARQUITETANDO  SUA PRÓPRIA PRISÃO
Jesus, ao vê-lo prostrado e sabendo que já levava muito tempo assim, disse-lhe: «Queres ficar são?»Respondeu-lhe o doente: «Senhor, não tenho ninguém que me meta na piscina quando se agita a água, pois, enquanto eu vou, algum outro desce antes de mim». 
Mais tarde, Jesus encontrou-o no templo e disse-lhe: «Vê lá: ficaste curado. Não peques mais, para que não te suceda coisa ainda pior.» João 5:14
…Não tenho! …não posso! …não consigo! …não vai dar certo! …ninguém me vê! …ninguém me entende! Tais  declarações são matérias primas na arquitetura das celas da alma! Podem se tornar tijolos na edificação de prisões que vão a cada dia aprisionando a alma!
O texto do Evangelho relata que posteriormente ouve um encontro de Jesus com o ex-paralítico e que Jesus lhe deu uma orientação: …“não peques mais”…. O estado do “ex” poderia sofrer um terrível agravante, uma recaída ainda pior!
Creio que configura-se nessa declaração de Jesus um chamado de atenção sobre as questões da alma. Muitas doenças são resultados de cárceres produzidos  na alma. Pecados, tendências, manias, complexos, disfunções, imaginações são os tais “tijolinhos” que vão construindo as prisões do ser! A lista é imensa de tais materiais construtores de prisões!
Pasmem. É pura verdade! Tem gente que já construiu uma verdadeira “Alcatraz” ,outras,uma “Carandiru” na alma!
As  atitudes  negativas  vão  construindo as próprias celas existenciais!
Aquele  homem revela uma alma cativa em si mesma! Ler sobre “(doenças da alma doenças “psicossomáticas!”).

Permitamos  que nosso terapeuta divino nos cure a alma !

BONANI

Comentários

  1. Verdadeiramente autentica estas palavras, quantas estarão presas em suas camas, onde esta a ponte que leva estás pessoas até Cristo Jesus, ano após ano os sentimentos ficam mais fortes, os ouvidos ficam fechados derivado ás faltas a atenção, sua alma precisa de ser curada, o Médico esta no consultório, mas não há transporte para o doente, será que chegou a crise a este ponto? Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Como tantos outros, belíssimo texto. É clara sua intenção em focar a questão espiritual e está certíssimo. Mas vou ousar também comentar que, os tijolos com os quais construímos nossa subjetividade são materiais, provém de estruturas terrenas. Certo que o homem teria desenvolvido essa inferioridade, mas também a sociedade como um todo colabora, quando impede acesso a tantos, enquanto outros tem tudo. É claro que existem graus... e é certo também que muitos obtêm isso por mérito, portanto tem legitimidade. Mas há tantos que obtêm por meios ilícitos, por especulação, não produzindo trabalho, riqueza coletiva, mas apenas individual, e empobrecendo e adoecendo a muitos. Amigo se Marx não está completamente correto, quando diz que não é a consciência que determina a existência, mas são as condições materiais que determinam a existência, também não esta correto que tudo depende das ideias e atitudes mentais das pessoas. Temos que buscar um equilíbrio e perceber que a doença da alma, começa sempre com condições materiais adversas. Abraço!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Escreva aqui seu comentário e enriqueça ainda mais o Blog com sua participação!

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

"A Igreja Fábrica de Gente e Suas Peças de Produção"