"MÁQUINA DO TEMPO FREUDIANA" (..."racionar custa mais do que simplesmente pensar!"...)


Entrei por alguns segundos na minha máquina virtual do tempo e vi-me diante de uma tela na qual exposta estava a imagem de um candidato e seu número partidário. 
Visualizei a imagem considerável e simpaticamente bem trabalhada aos meus olhos. 
-Vamos lá disse para mim mesmo!...   
Entretanto o  avanço temporal para o futuro trouxe consigo  informações  do passado que colocavam seriamente do candidato da telinha em questão! 
Numa fração menor do que segundos... O dedo indicador quis avançar  aquele momento, motivado pela  emoção da atitude pensante do: "deixa prá  lá"! Afinal de contas, todo politico é assim mesmo, o que importa mesmo são as minhas ideologias dos  meus interesses! "O resto, se f...!"
De repente, num raciocínio mais lógico e equilibrado o qual levou mais tempo do que um segundo , até porque; "racionar custa mais do que simplesmente pensar"! Resolvi a questão e cheguei a conclusão que decidir sem raciocinar pode ser a manifestação de patologias psíquicas instaladas que nem sequer eu percebo, as quais somadas a outras da mesma espécie formam um grande processo sistémico do consciente coletivo.(...)

...Voltei do futuro na minha máquina do tempo virtual, concluindo:
"Quando se vota em um candidato que possui desvios de conduta e coaduna com outros da mesma espécie" isso é caso, ou de vadiagem existencial ou de um perfil de natureza psico-demente!"

Abaixo descrevo o  perfil psicológico de uma pessoa que vota sem raciocinar, o qual eu  classifico como "Voto Louco!"
É um "psicopata-edipiano" com um considerável grau de "neurose-narcisista" associado a sintomas de "bipolaridade-conflitante-esquisóide", como também manifestações de certo grau de  "paranóia-esquizofrenica-debilóide"  correlacionado com "autismo-aminésico!"

Não apenas pense!
Raciocine!

BONANI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)

RELIGIÕES DO LIVRO E A INCOERÊNCIA DA LITERALIDADE!"