PENSO; ...LOGO EXISTO PENSANDO QUE EXISTO! ...rsrsrs...


Será que essa é mais uma para a minha lista?!...rsrrssr...

Será que para mim a máxima é: 
"Penso; ...logo existo pensando que existo?!"...rsrsrs...

Os cientistas da psiquê sempre descobrindo uma novidade patológica! ... RSRSRS...

Leia o texto a seguir!

...Você está constantemente de mau humor, com pensamentos pessimistas, além de sentir muita irritação e sensação de cansaço frequente? Disposição e energia é algo que não está presente no seu dia a dia? Parece sempre desinteressado e geralmente as pessoas ao seu redor o classificam com um "gênio difícil"? 
Então, muito cuidado. Se você tem alguns desses sintomas ou conhece alguém assim, fique em estado de alerta: isso pode ser uma doença chamada distimia, um tipo de depressão.

Segundo a Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (ABRATA), há de 5 a 11 milhões de brasileiros que sofrem deste problema. Os transtornos afetivos - como depressão, distimia e transtorno bipolar - atingem, atualmente, cerca de 340 milhões de pessoas em todo o mundo. Rosilda Antonio, psiquiatra e vice-presidente da ABRATA, explica que a distimia é uma depressão crônica que não se apresenta na forma de episódios ou crises depressivas. Na verdade, essa doença faz parte de um grupo de transtornos mentais que interferem no humor das pessoas e, por isso, os psiquiatras chamarem de quadros de "Transtornos do Humor". 

"Na distimia, os sintomas são mais leves do que nas depressões maiores ou episódios depressivos. E o mais característico é o paciente apresentar mau humor crônico e diminuição da capacidade de sentir prazer. O quadro clássico é o de uma pessoa entristecida, introvertida e incapaz de se divertir", explica Rosilda.
Mas, afinal, o que diferencia uma pessoa com distimia de outra que vive reclamando o tempo inteiro e não tem o problema? Para que você entenda melhor, quem não tem a distimia, geralmente, fica triste, séria,irritada e sem se divertir em decorrência de uma preocupação ou alguma situação que justifique esses sentimentos. Estas reações, explica a psiquiatra, serão normais se forem proporcionais ao motivo que a causou. E deverá desaparecer quando o problema for resolvido ou superado. 

"Já a pessoa com distimia vive mal humorada e sem se divertir na maior parte do tempo, independente de motivo ou contexto. Apesar de ser considerado um transtorno mais leve do que a depressão, as consequências da distimia para a qualidade de vida dos seus portadores podem ser bastante prejudiciais e graves",observa a psiquiatra. 

BONANI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

"A Igreja Fábrica de Gente e Suas Peças de Produção"

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)