EVANGELHO AUTÔNOMO OU EVANGELHO AUTÔMATO. QUAL VOCE ESCOLHE?


Por vezes uso no tema, recurso justificável para poder chamar a atenção do leitor! É o caso do tema proposto nessa reflexão, pois na verdade, o “Evangelho é o Evangelho”, tal qual Jesus propôs que vivêssemos.  Uso termos autônomo ou autômato para de certa forma, ajudar  a linha de raciocínio que o assunto propõem!
Leiamos o texto do Evangelho de  Lucas:
E aconteceu num daqueles dias que, estando ele ensinando o povo no templo, e anunciando o evangelho, sobrevieram os principais dos sacerdotes e os escribas com os anciãos,E falaram-lhe, dizendo: Dize-nos, com que autoridade fazes estas coisas? Ou, quem é que te deu esta autoridade?E, respondendo ele, disse-lhes: Também eu vos farei uma pergunta: Dizei-me pois:O batismo de João era do céu ou dos homens?E eles arrazoavam entre si, dizendo: Se dissermos: Do céu, ele nos dirá: Então por que o não crestes?E se dissermos: Dos homens; todo o povo nos apedrejará, pois têm por certo que João era profeta.E responderam que não sabiam de onde era.E Jesus lhes disse: Tampouco vos direi com que autoridade faço isto. Lucas 20:1-8
Autônomo é tudo aquilo que se governa pelas suas próprias leis e é independente. Autômato pode configurar um humano que imita os movimentos animais ou uma máquina que imita o movimento de um corpo animado. De uma forma figurada pode representar também uma pessoa que não pensa nem age por si mesma.
 De certa forma, ainda que de  forma  muito sutil, vivemos alguns reflexos autômatos em relação a nossa compreensão e expressão acerca do Evangelho. Quanto falo em automatismo em relação ao evangelho, percebo que o próprio termo já causa um nó na compreensão, até daqueles que se julgam cultos nas disciplinas e doutrinas chamadas cristãs!
Encontramos muitas expressões e configurações acerca do  Evangelho e suas mais variantes manifestações e reações.  …É bem capaz que um teólogo ao ler o que se segue possa não concordar  com  minha exposição, talvez  porque não tem a coragem de despir-se de toda sua cultura pontificada em suas convicções, ou, porque faça parte de uma escola de pensamento que lhe condicionou(automatizou) a mente, ou ainda; … numa atitude de vaidade, mesmo diante de coisas óbvias, prefere não abrir mão de optar por uma linha de raciocínio que lhe poderá comprometer, por exemplo, a sua carreira, sua reputação e porque não dizer a sua remuneração, configurados em elementos alinhados de formas performativas as  quais  precisa manter diante da sociedade religiosa que representa. Ou até; deseja sinceramente manter sua posição e convicção e até me ache de certa forma um  liberal ou  hedonista que afirma que quero ensinar e viver o Evangelho  prazerosamente e autonomamente sem qualquer atrelagem convencional, dogmática, tradicional e teológica!
Não é de se admirar que Nicodemos, mestre da lei, religioso ferrenho, venha ter com Jesus na calada da noite, para no luso fusco, ouvir que aquilo que Jesus   ensinava não se tratava do automatismo religioso  e sim do autonomismo (vida livre) do Evangelho? Ler João 3.
Mais:...
 …Desafio-o a ler o capítulo 3 de João despido de dogmas e perceber; …muitas vezes o Evangelho que conhecemos está de tal forma identificado com as normas da religiosidade dogmática, tais quais os dogmas que Nicodemos carregava, que mesmo aqueles que se dizem seguidores de Cristo, após confrontados com a vida que o evangelho de Cristo propõem, não conseguem ter  a coragem de assumi-la na visceralidade, preferindo ou condicionando-se à um Evangelho normativo!
É justamente nesse confronto religioso que Jesus esboça o âmago articulador de toda a doutrina da Salvação e Nova Vida que o Evangelho produz! Sem esse texto de João 3, não teríamos uma compreensão lúcida sobre a visceralidade do poder do Evangelho como elemento de libertação  no Evangelho Autônomo, de uma vida que nunca foi programada por Cristo como configuração para uma religiosidade autômata!
A religião tentar viver. A teologia  tenta  explicar. A filosofia tenta racionalizar. O agnosticismo tenta anular.  A heresia tenta distorcer. O ascetismo tenta enclausurar. Os inimigos tentam banir e o fanatismo surta, entretanto; …em se tratando do genuíno Evangelho, todas as  exposições e posições que tentam  definir   o evangelho de Cristo sem considerar que é vida que ele transmite, se torna autômato engano! O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito. João 3:8
Não foi essa a tentativa dos escribas, sacerdotes e anciãos, muitos deles que compunham o Sinédrio, de tentar pela questão religiosa, cortar pelas pernas a nova doutrina que Jesus trazia, pois aquilo que ele falava e ensinava com autoridade, desconstruía seu dogmas e desfazia o poder automatizador que exerciam nas almas daquele povo que era como ovelhas que não tinham rebanho?
Estou cansado do Evangelho Autômato que diz aos seu seguidores: …meus discípulos, …minhas ovelhas, …meus líderes, …meus seguidores, …meus submissos,...meus dogmas,…minhas doutrinas, …meus calvinos, … meus armínios, …meu liberalismo, …etc!
Digo tudo isso porque tenho cuidado de “crentes” que estão tão lacerados e confusos naquilo que para eles é chamado de vida cristã, e no entretanto, revelam que tal vida cristã está estigmatizada por um conjunto de obrigações, preceitos, linhas doutrinárias, dogmas, imposições, etc! 
Aquilo que deveria a princípio ser para eles uma proposta autônoma do Evangelho de Cristo, tornou-se  um Evangelho Autômato de homens e seus dogmas e imposições!
Mais...! 
Não quero escandalizar, ...já escandalizando! ...As igrejas estão apinhadas de filhos de crentes que vivem o Evangelho Autômato e não o Evangelho Autônomo!
A tudo isso, declaro com toda convicção da minha alma: EVANGELHO NÃO SE EXPLICA. EVANGELHO SE APLICA. EVANGELHO SE VIVE!
Deixo abaixo algumas questões, baseando-as no contexto de Lucas cap. 20:1-8.
Não vale a pena entrar aqui em debates de linhas teológicas, doutrinais, confessionais, de tradição religiosa ou história eclesial. Garanto-lhes com toda a visceralidade da minha alma: Não consigo entrar por essa via de raciocínio!
 Fica aqui um reflexão para análise e escolha de qual evangelho conhecemos!


BONANI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O QUE REALMENTE QUER DIZER O PREGADOR SOBRE ECLESIASTES 9:8?

"A Igreja Fábrica de Gente e Suas Peças de Produção"

“ATITUDES INDISPENSÁVEIS EM RELAÇÃO AO GENUÍNO EVANGELHO!” (1a parte)